Ecoparque Sperry – Uma Gramado com Trilhas, Cachoeiras e Bergamotas

Estávamos fazendo nada em casa, em pleno feriado, num frio de 8°C de dia e 0°C de noite. O que fazer com um céu azul desse? Subir a serra gaúcha para passar ainda mais frio, não é mesmo? Mas depois de ter ido a Gramado e Canela tantas vezes, o que ainda resta para ser descoberto?

Laranjas e a serra gaúcha Ecoparque Sperry Gramado

Não é que achamos um lugar para ir que não conhecíamos antes? O Ecoparque Sperry foi inaugurado recentemente, fica a 5km do Eixo das Hortências (que liga Gramado e Canela) e, para quem gosta de uma boa caminhada no meio do verde que nem a gente, é uma opção bem divertida para curtir uma tarde.

Leia mais

Compartilhe:
comentarios:4
07
jun
2012
Templo Budista na Serra Gaúcha

A Serra Gaúcha guarda alguns pontos turísticos “inusitados”. Para quem acha que a região só tem Gramado e Canela para oferecer, roteiros nos vinhedos de Bento Gonçalves, a charmosa cidade de São Francisco de Paula e o Centro Budista Khadro Ling na cidade de Três Coroas provam que o turismo no Rio Grande do Sul é bem mais do que umas casinhas alemãs bonitinhas.

Templo Budista de tres coroas

Eu posso ser suspeito para falar da beleza e da paz que se sente no alto da montanha em que se situa o templo, pois afinal sou budista (ultimamente não-praticante, mas ainda assim budista). Porém, comentários positivos vindos de turistas adeptos de outras religiões me fazem pensar que é uma dessas visitas que valem a pena.

Leia mais

Compartilhe:
comentarios:13
27
dez
2011
Nova atração de Porto Alegre: Cais Mauá

Pouca gente sabe que a capital dos gaúchos, apesar de levar em seu próprio nome as lembranças de um glorioso passado naval, hoje vive de costas às águas poluídas do rio Guaiba e abandonou à degradação urbana e social uma área de 3,2km de extensão do seu Porto.

Seus armazéns erguidos com material importado de Paris e hoje tombados pelo patrimônio histórico se transformaram em um verdadeiro elefante branco sem utilidade, fadado à deterioração. A região que já foi símbolo de progresso e desenvolvimento e levou quase 50 anos para ser construída durante a primeira metade do século XX hoje é apenas mais uma parte renegada do centro histórico da cidade.

Ultimamente, os armazéns do cais Mauá só têm sido utilizados (e muito bem, por sinal) como sede das Bienais do Mercosul (que em 2011 teve a sua 8a edição). Mas todos concordam que é um crime uma região com tanto potencial só ter serventia por uns 4 meses a cada dois anos!

A MAIS legal das obras na Bienal de 2011: formigas entre as bandeiras

O Porto, na verdade, não está 100% desativado, pois ainda restam cerca de 5km em operação, o Cais Navegantes e o Cais Marcílio Dias. E parece que no mundo inteiro, as zonas portuárias acabam condenadas a se converter em áreas de baixo desenvolvimento econômico, convivendo com pobreza, prostituição e criminalidade.


Armazéns abandonados

Algumas cidade, entretanto, resolveram ir contra essa tendência e transformar seus portos em zonas de lazer, comércio, entretenimento, negócios e principalmente, de turismo! Exemplos bem sucedidos são Hamburgo, na Alemanha, San Diego, nos EUA e Barcelona, na Espanha.


Barcelona

Dizem que o Puerto Madero em Buenos Aires, exemplo mais conhecido dos brasileiros de porto revitalizado, vem dando prejuízo. Não sei se é verdade, mas que nós adoramos passear por lá, disso eu tenho certeza!


Puerto Madeiro e seus prédios de

Porto Alegre tem vontade de reerguer o Cais Mauá há mais de 30 anos. Mas o projeto ficou atolado em burocracias políticas por pelo menos 20! Apressado talvez copa do Mundo ou pelo exemplo do Rio de Janeiro, que já começou a tocar o seu próprio projeto, finalmente nesse mês de Novembro de 2011 a zona foi entregue ao consórcio vencedor da licitação.


Quanto tempo esses armazéns ainda durariam?

A empresa é a mesma que fez a reconstrução em Barcelona e se o projeto for mesmo levado à cabo, teremos hotel, shopping center, estacionamentos, bares, restaurantes e uma grande área verde de lazer para curtimos o pôr do sol no Guaiba!

As imagens do projeto (extraídas do site: http://goo.gl/xPL4Q – todos os direitos reservados) são de entusiasmar e pode ser que sirva não só aos moradores da cidade, como também a turistas de outras regiões do Brasil (e quem sabe, até do mundo).

Enfim, esperamos que Porto Alegre consiga abandonar essa política de crescer de costas ao seu principal patrimônio natural e que usufrua de forma sustentável das águas do nosso querido Guaiba!

Um abraço a todos!

 

MAIS POSTS SOBRE O BRASIL?

 

Foz do Iguaçu
Índice completo de Posts do #BlogTurFoz

Alagoas
Índice completo de Posts de Alagoas

Rio Grande do Sul
Índice completo de Posts do Rio Grande do Sul

Brasília
Brasília: Beleza Árida

Compartilhe:
comentarios:4
04
dez
2011
Usina do Gasômetro – Porto Alegre

Porto Alegre abriga algumas atrações gratuitas, que qualquer visitante pode desfrutar quando estiver por aqui. Uma delas é a usina do gasômetro, que frequentava quase diariamente quando morava nas suas proximidades.

Esse artigo foi parte de uma blogagem coletiva, com a participação de vários outros sites de turismo gaúcho. Para mais detalhes sobre a #BlogagemColetivaPoA, clique AQUI.

Leia mais

Compartilhe:
comentarios:8
13
nov
2011
São Francisco de Paula: Onde a Serra é mais Gaúcha

São Francisco de Paula é a cidade menos conhecida da região das Hortênsias na Serra Gaúcha. Disputa atenção com nada mais, nada menos que Gramado e Canela, as grandes estrelas conhecidas em todo o Brasil. Poderia ser até rotulada como o patinho feio comparada com suas vizinhas, não fosse a paixão que tenho por esse cantinho sossegado e idílico.

Fazendo as devidas ressalvas, São Chico, como é conhecida pelos íntimos, é uma cidade bem diferente das duas citadas acima. Primeiro, porque não possui arquitetura alemã e segundo, porque ainda não foi ocupada pelo turismo de massas. Ou seja, garantia de sossego e sensação de “exclusividade” o ano todo! Tudo isso cercado de muita mata nativa, araucárias, parques, lagos e locais verdadeiramente gaúchos.


Bosques de araucária. Só São Chico tem!

Desvantagens: bem menos pontos turísticos, é um lugar que dá para ser conhecido em um dia com folga. Dependendo do foco, até mesmo em meio dia. Se bem que, se contarmos os arredores da cidade, há muitas atrações num raio máximo de 50km que daria para passar bem uma semana se divertindo.

 

1) Atrações

 

a) Rua Central

O centro de São Chico é tão pequeno que se resume, basicamente a uma única avenida. Ponto. Tá, mas o que tem para conhecer ali? Poucas coisas, o que por um lado pode decepcionar os mais ávidos, mas que por outro, pode facilitar a vida daqueles turistas mais sossegados.


Avenida Principal de São Chico

Aviso aos navegantes. As coisas fecham na hora do almoço, mas reabrem na tarde do sábado. Domingo eu não reparei se havia algo aberto. Caminhar pela calçadinha do monumento à cuia até o monumento ao Negrinho do Pastoreio será gostoso mesmo com tudo fechado.

Dica 1: o chocolate quente do “Água na Boka”. Não se engane. A fachada é simples, mas o chocolate é divino. Sempre que vou à serra, dou uma passadinha ali.

Dica 2: a feirinha de produtos coloniais, do lado do Água na Boka, com cucas, pães, doces, mel e pinhão (o produto típico da região). Bom e barato, mas não funciona o dia inteiro. No sábado, por exemplo, só funciona pela manhã.

 

b) Livraria Miragem

Não sei se já é considerada ponto turístico, mas deveria. Fica na avenida principal, na direção de Canela, e vale para passar uma tarde inteira, se você gosta de livros. No andar térreo, está todo o acervo, com muita variedade e uma disposição muito agradável.

A casa, que é enorme, é muito aconchegante e o atendimento, cheio de personalidade. Se der sorte de conseguir trocar umas ideias com a proprietária, será uma experiência inesquecível.


Fachada

O segundo andar vende artigos de decoração rústica (eu adoro!) e o terceiro andar tem sempre uma exposição artística. Nesse mês de julho estavam fotografias de casarões históricos das redondezas. Muito show (e gratuito!).


Casa de chá

Pensa que é só isso? O lugar conta com uma casa de chá, com opção de se sentar às mesas que dão para o pátio interno. Esse pátio, habitado por um jovem plátano solitário integra a casa de chá, a livraria e uma igreja/capela de quase um século de idade. Ainda está sendo restaurada, mas já é possível visitar a exposição fotográfica que há no térreo.


Livraria propriamente dita

c) O Lago São Bernardo

Se você não se empolgou muito em conhecer São Chico pelas duas atrações acima, mudará de ideia por causa desse lago. Sua orla com cerca de 2,5km de perímetro cheia de árvores decíduas (dessas que perdem as folhas em tons pastéis no outono, ficam peladas e amedrontadoras no inverno, para depois se encherem de verde e vida no verão) é um cartão postal para cidade nenhuma botar defeito.

Tem trapiches que avançam na água, perfeito para fotos com o seu par romântico.

Tem banquinhos coloridos para sentar e jogar conversa fora.

E tem dezenas (nunca milhares) de gaúchos tomando seu chimarrão enquanto caminham sossegadamente pela sombra da mata nativa que há em torno. Outro lugar em que você pode “desperdiçar” umas duas horas tranquilamente.

Só tem um problema aqui. Se você programou para passear ali de manhã cedo, irá se arrepender, porque o horário perfeito do dia é no finzinho de tarde! O pôr do sol tingindo aquelas águas de dourado vale muito à pena.

 

d) Arredores

Se esses três pontos turísticos parecem pouco, São Chico tem muita coisa pertinho. O Centro Budista de Três Coroas fica a meros 36km via RS 020 (a mesma que leva a Porto Alegre, via Taquara). O Parque das Cachoeiras, no caminho para Canela, está a 35km. Mais pertinho (2,5km por estrada de terra a partir do Lago São Bernardo), tem o Parque das 8 cachoeiras, mais simples, mas também divertido.

 

2) Hospedagem

Como ninguém está me pagando para fazer propaganda, vou simplificar e recomendar apenas 3 hotéis na cidade. Mesmo se você pretende passar uma semana e conhecer Gramado e Canela, compensa se hospedar em São Chico, pois as diárias provavelmente serão mais em conta, para o mesmo nível de conforto. O único senão é a obrigatoriedade de ter um carro à disposição para fazer seus passeios.

 

a) Hotel das Araucárias

Eu já me hospedei umas 4 vezes nesse hotel (para verem como eu gosto dele!). Já foi mais barato antigamente, mas é uma delícia por causa do bosque de Araucárias onde se pode fazer uma caminhadinha bem gostosa.


Cabanas privativas

Eles estão sempre fazendo jantares especiais, oferecendo o famoso “churrasco de pinhão”, ou mesmo servindo café colonial. O charme fica por conta das cabanas com sala, banheiro e quarto com calefação funcionando sempre de forma impecável.


Da janelinha do quarto do hotel…

Há a opção de quarto com lareira, por um pequeno adicional. E o café da manhã é bem honesto.

 

b) Pousada do Engenho

Quem me dera poder ficar hospedado mais vezes. Fazem 10 anos que conheci a serra gaúcha pela primeira vez e foi ali que fiquei. Paixão à primeira vista: pela pousada, por São Chico, pela Serra e pelo Rio Grande do Sul (sou mineiro, sabiam?).

De lá pra cá a coisa só melhorou (e as tarifas só subiram), mas eu ainda hei de voltar lá! Também é no esquema de cabanas, também tem um bosque maravilhoso na propriedade e tem um café da manhã especial (será que ainda é o Alex que faz?). Para completar, fica pertinho do lago São Bernardo.
Hoje em dia é membro da rede “Roteiros de Charme” e recebeu o prêmio 2011 da revista Viagem e Turismo como a melhor pousada de campo do Brasil. É mole ou quer mais?

 

c) Hotel Cavalinho Branco

Nunca entrei, nunca me hospedei, mas não tem como não vê-lo. Sua fachada imponente, bem na beira do Lago São Bernardo, fazem dele um lugar a ser cotado, ao menos.

 

3) Gastronomia de São Francisco de Paula

 

a) Casa da Dinda

A casa da Dinda é uma galeteria. Para quem não é gaúcho, explico. Lá você comerá massas, galeto (franguinho bem jovem e macio) e costela de porco. À vontade, com preço fixo, e com direito a diversos acompanhamentos.

É derivado da gastronomia italiana, então prepare-se para a polenta frita e para um vinhozinho, claro. Na casa da Dinda, há um diferencial que é o churrasco de pinhão (feito com pinhão e carne, sob a forma de um hamburguer assado), uma iguaria que só existe em São Chico!

 

b) Churrasco na Vala

Uma tradição desse canto da Serra Gaúcha e exemplo máximo do verdadeiro churrasco gaudério, pode ser degustado em vários lugares, sendo o mais famoso o do “Pomar Cisne Branco“. Há outros hotéis fazenda nas redondezas que também assam o costelão dessa forma tradicional. Eu, pessoalmente, nunca provei. Os carnívoros que conheço dizem ser fantástico. (Obs… não sou herbívoro, mas gosto de carne com certas “restrições” hehehe)

 

c) Pizzaria Morosko

Jantamos ali na última vez que fomos a São Chico. Até bem decente, mas nada de espetacular. O atendimento deixou um pouco a desejar.

 

d) Churrascarias

Nunca fui às churrascarias da cidade, mas as churrascarias Campo do Meio e do CTG Rodeio Serrano são as mais famosas.

4) Mapa com o que ver em São Francisco de Paula

Tudo isso que eu falei pode ser conferido mapa abaixo.

Visualizar São Francisco de Paula em um mapa maior

 

Querem ver mais posts sobre destinos no Brasil? É só clicar no link e boa viagem!

Compartilhe:
comentarios:17
09
ago
2011