Lagoa Azul – a atração mais visitada da Islândia

A Lagoa Azul é a atração mais visitada da Islândia. E não é de graça. O lugar é realmente muito gostoso e tem a infraestrutura necessária para receber milhares de turistas por dia. E o melhor: serve para qualquer estação do ano e para qualquer idade.

Se gostamos? Muito! A gente meio que já sabia que ia gostar, por isso deixamos para o nosso último dia. Assim, fechamos a nossa viagem pela Islândia com chave de ouro.

 

 

Localização e como chegar na Lagoa Azul

A gente estava de carro alugado. Então foi só botar no GPS e dirigir até lá. Em inglês, você pode inserir o termo “Blue Lagoon”, que dá certinho. Há muitas placas (muitas mesmo!) indicando a direção.

Saindo de Keflavík (o aeroporto) em direção à capital da Islândia (Reykjavík), basta virar à direita onde a placa indicar “Blue Lagoon”.

Caso tenha medo de se perder, siga a direção de Grindavík, que é o vilarejo mais próximo. A Lagoa Azul fica a 23km do Aeroporto e a 47km de Reykjavík.

Mesmo assim, acho que muita gente vai preferir chegar lá de ônibus, ou de excursão. Para chegar de excursão, você não precisa saber o caminho, pois ela te leva. E onde eu consigo uma excursão dessas? Basta perguntar na recepção do seu hotel ou procurar no centro de Reykjavík.

Para ir de ônibus executivo, há uma linha que liga a Lagoa Azul ao centro de Reykjavík e ao aeroporto. Você consegue consultar os horários no próprio site oficial (veja o link abaixo):

Horários de ônibus

 

Como é a Lagoa Azul

Chegando lá, a primeira dica é avisar que antes de entrar, há um caminho que você pode percorrer até a beira da água, que é totalmente gratuito.

Não vai dar para tomar banho (óbvio), mas dá para tirar fotos legais. Essa pequena trilha te leva até a parte em que a água é mais azul de verdade.

No nosso caso, tivemos o azar de pegar um dia muito nublado. Então até dá para acreditar que a água é azul, mas a cor fica muito mais bonita se o céu estiver limpo e ensolarado.

Voltando à recepção, você paga sua entrada em um guichê normal. Dá para deixar sua bagagem num guarda-volumes pago (4 euros), caso esteja vindo direto do aeroporto (ou indo direto para lá).

Você ganha uma pulseira eletrônica que substitui a comanda e serve de chave para o seu armário (locker), onde você vai guardar os seus pertences pessoais. Se não estou muito esquecido, eles não fornecem toalhas, nem chinelos. Então leve o seu!

Atenção! É obrigatório tomar uma ducha antes de entrar na “piscina”. A gente não fotografou nada dentro do vestiário (que é gigantesco!) porque tinha um monte de gente pelada andando pra lá e pra cá, hehehehe.

Banho tomado e coisas guardadas, é hora de entrar dentro da água, que é aquecida.

Reparem ali o bar que serve bebidas dentro da água

 

Tomando banho na Lagoa Azul

Não importa o frio que esteja do lado de fora, ir na Lagoa Azul é garantia de um banho morno e quentinho, numa água cheia de sais minerais saudáveis para a pele.

Apesar de parecer natural, a água da Lagoa Azul na verdade vem de uma usina produtora de energia que fica bem ao lado. A água quente usada para girar as turbinas é despejada nessa piscina gigantesca, cujo fundo é feito de sílica, um mineral branco que forma uma espécie de lama.

Usina que derrama água quente “abastecendo” a Lagoa Azul

Fiquem tranquilos que a gente não pisa em nada melequento. O fundo da Lagoa Azul é firme e durinho como uma piscina comum. Mas o barro branco é colocado nuns baldes que ficam na borda da “piscina” por todo o lado.

A sílica faz muito bem para a pele, então o pessoal brinca de fazer máscaras brancas desse barro. E de fato, a pele da gente fica lisinha e macia depois.

Lá dentro não é muito fundo (essas pessoas na foto estão agachadas). E para quem quiser mais privacidade, há vários “ambientes” mais ou menos separados da multidão. Em alguns horários do dia, pode ser que a Lagoa Azul esteja realmente bem cheia. Por isso é bom ter espaço suficiente para espalhar esse povo todo.

A gente passou mais de duas horas por lá . Dá vontade de passar o dia inteiro tomando umas cervejinhas no bar molhado. Se a fome apertar, há um bom restaurante lá dentro.

Spa, restaurante, hotel, vestiários – tudo nesses prédios aí atrás

Nossa visita foi no verão, mas já imaginaram a paisagem toda branquinha de neve com a lagoa de água quente no meio? Fica lindo demais! E pegar o pôr-do-sol lá dentro? Legal, né não! Mas vai ficar para uma próxima visita à Islândia.

 

Informações Úteis sobre a Lagoa Azul

  • Em algumas épocas do ano, dá para visitar a Lagoa Azul até a meia-noite
  • Há um spa no local e uma marca própria de cosméticos à base de sílica
  • Dá também para se hospedar lá dentro
  • Fica aberto 365 dias no ano

 

Serviço

 

Lagoa Azul
Site Oficial
Ingresso: ISK 6.100 (50 euros) – opção mais barata para o verão
Horário: 8-20h (no mínimo, no verão pode ficar até aberto até a 0h)

Coordenadas:
Latitude: N +63.881363 (63°52’52.9068″N)
Longitude: W -22.453115 (-22°27’11.214″W)

 

 

Ahn! Só mais uma coisa!

Se você está procurando hospedagem na Islândia, não deixe de dar uma olhadinha no nosso parceiro, o site Booking.com. Se fechar com eles depois de clicar na caixa de busca abaixo, a gente ganha uma comissão e você não paga nenhum centavo a mais por isso. Valeu!

 

Escrito por: Gleiber Rodrigues
Compartilhe:
comentarios:2
Posts Relacionados:
04
Jan
2017
2 comentários
  1. Natalie
    09/01/2017

    Oi, Gleiber. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

    • Oi Natalie!!!
      Muuuito obrigado! Se estiverem precisando de algum texto lá no viaje na viagem sobre a Islândia, estou à disposição 😉
      (oferecidooooo kkkkkk)
      Bjo