Sul da Islândia de Carro

O nosso roteiro pela costa sul da Islândia passou por um monte de lugares bacanas. Tenho certeza de que você também vai dar um jeito de visitar todos eles quando estiver por lá.

Sul da Islandia - Skogafoss cachoeira

A gente fez o roteiro de carro, mas também dá para fazer de excursão, a partir da capital, Reykjavik. Não importa como, o importante é ir porque as paisagens são de cair o queixo.

Então se preparem para o festival de fotos!

 

Costa Sul da Islândia – parada 1: Seljalandsfoss

A gente começou essa jornada pela costa sul da Islândia vindo da Gullfoss, a cachoeira dourada, última parada do tour do Círculo Dourado (tem post explicando certinho). Daí, dirigimos por 120km até chegar na nossa primeira parada.

Sul da Islandia - Seljalandsfoss

Na verdade, a gente parou várias vezes ao longo desses 120km para tirarmos fotos da paisagem, dos cavalos selvagens, das pontes… Esse é o lado bom de se estar de veículo próprio (a gente alugou uma campervan e contamos tudo num outro post).

Sul da Islandia - Pingvellir

O acesso é muito fácil. A entrada do estacionamento é muito bem sinalizada a partir da Ring Road, a estrada principal da Islândia, que dá a volta à ilha.

Sul da Islandia - Seljalandsfoss panorama

Desceu do carro, agora é hora de explorar a pé. O legal aqui é que não é só chegar, clicar a cachoeira e ir embora. Em Seljalandsfoss (Foss significa cachoeira, lembra né?), dá para andar atrás da queda d’água!

Sul da Islandia - cachoeira Seljalandsfoss

Dá também para pegar uma trilha lateral (à esquerda de quem está olhando a cachoeira de frente) e subir até quase o topo, para ter uma visão completamente diferente do lugar.

Sul da Islandia - Flores na Cachoeira

Ou seja, este é um lugar para ficar entre 1h e 1:30h, pelo menos. Se for fotografar, talvez precise ainda de mais tempo.

Sul da Islandia - por tras Seljalandsfoss

 

Costa sul da Islândia – parada 2: Museu Eyjafjallajökull

Não sei por que, mas tenho um prazer em escrever esses nomes islandeses aqui no blog. Acho que é só porque sei que nunca saberei pronunciá-los. Se o final “foss” significa cachoeira, “jökull” significa geleira.

Então Eyjafjallajökull significa geleira Eyjafjalla. Ficou mais fácil, né? Se vocês se puxarem um pouco da memória, essa região ficou muito famosa em abril de 2010 porque o vulcão que fica ali resolveu entrar em erupção e jogar cinzas sob todo o espaço aéreo da Europa.

Sul da Islandia - Eyjafjallajokull erupcao

Muita gente ficou presa nos aeroportos do continente, levando a diversos transtornos. Nesse museu, além dessa história, você vai ver a repercussão dessa erupção para os vilarejos agrícolas da costa sul da Islândia, vizinhos do vulcão.

Sul da Islandia - museu Eyjafjallajokull

Deve ser fascinante, porque a gente não entrou. 🙁 Acho que estava fechado naquele dia, sei lá o motivo.

 

Costa sul da Islândia – parada 3: Skogafoss

Se você achou que ver Gullfoss, Seljalandsfoss e Skogafoss no mesmo dia é muita coisa, vou te dizer que não. Cada cachoeira é diferente da outra.

Sul da Islandia - Skogafoss

Skogafoss é muito grandiosa e está inserida numa paisagem verdejante difícil de esquecer. Se o volume d’água não é tão impressionante quanto o da Gullfoss, aqui é a altura que vai te deixar boquiaberto.

Também tem como caminhar no entorno. Uma escadaria do lado direito (de quem olha a cachoeira de frente) te leva para o topo da queda d’água.

Sul da Islandia - topo da Skogafoss

A vista é fantástica! Dá para ver o leito dos rios até desaguarem no oceano Atlântico, principalmente se você tiver a sorte de pegar um dia de sol como a gente teve.

Sul da Islandia - foz de Skogafoss

O acesso também é a partir da Ring Road (a N1, estrada principal do país) e é muito bem sinalizada. O estacionamento é bem amplo e há hotéis e campings por perto.

 

Costa sul da Islândia – parada 4: Península Dyrhólaey

Esse desvio da estrada N1 à direita é simplesmente imperdível. Anote aí para não errar o caminho e passar batido. Veja que é antes de chegar em Vík, a cidade mais ao sul da Islândia. No mapa do nosso roteiro eu sinalizei bem onde é (veja mais abaixo neste mesmo post).

Sul da Islandia - Rochas Reynisfjara

E por que esse lugar é tão bonito?

Sul da Islandia - perto de Vik Dyrholaey

Bem ali há umas formações rochosas basálticas muito surreais, que abraçam uma laguna de água salgada. Para deixar tudo mais surreal, uma restinga de areia completamente negra dá o toque final.

Sul da Islandia - Reynisfjara

O carro fica estacionado no topo, de onde você pode desbravar trilhas a pé para fotografar toda a região. Se quiser dá para descer até uma das praias, a Kirkjufjara.

Sul da Islandia - Dyrholaey

Os rochedos desse lugar são usados pelos puffins (em português: papagaios do mar) como abrigo. Isso significa que há boas chances de você conseguir fotografá-los por lá. A gente só os viu no mar, nadando em grupos ao longe.

Sul da Islandia - Puffin

Mas uma foto ao menos eu consegui!

Essas praias de areia negra são uma atração em si, mas a gente só as viu assim mesmo de longe, do alto. Com o frio que fazia (mesmo sendo verão), não nos deu muita vontade de chegar mais perto.

Ali no alto, os rochedos serviam de proteção contra o vento incessante. Lá embaixo, provavelmente o frio castigaria a gente muito mais.

 

Costa sul da Islândia – parada 5: Vík

Vík é um vilarejo minúsculo, mas que é famoso por causa de tudo que há de lindo a sua volta. Sua igrejinha é bem simpática e bastante fotografada, mas acho que a coisa mais importante aqui é que há de tudo um pouco.

Sul da Islandia - Vik

Para quem está numa road trip por paisagens tão isoladas, Vík significa posto de gasolina, hotéis, área de camping, conveniência, restaurantes… A gente chegou a dormir aqui no caminho de volta, mas na ida praticamente só abastecemos.

Mas atenção! Se você quer chegar perto destas famosas formações rochosas abaixo e pisar na praia de areia negra mais famosa do mundo, o acesso é pela próxima saída à direita depois de Dyrholaey e ANTES de Vík.

Sul da Islandia - Reynisdrangar

 

Costa sul da Islândia – parada 6: Campos de Lava de Eldhraun

Esses campos de lava formam uma das paisagens mais lindas e mais exóticas de toda a Islândia. Começam logo depois de Vík, no caminho para Skaftafell, onde dormimos nesta noite.

Sul da Islandia - N1 estrada por do sol

São quilômetros e mais quilômetros de rochas arredondadas cobertas de musgo. Ali você se sente, definitivamente em outro planeta. O mais maluco é que o lugar é tão extenso que parece que não termina nunca.

Sul da Islandia - campos de lava Eldhraun

Chega um ponto que você pensa que entrou num portal para outra dimensão e que nunca mais vai ver civilização de novo.

Sul da Islandia - Estrada no por do sol

Pegamos essa região bem no final do dia e armava-se uma tempestade que acabou caindo à noite e quase atrapalhou nosso passeio do dia seguinte. Mas no fim, deu tudo certo e gente conseguiu chegar sãos e salvos no camping de Skaftafell, nosso destino nessa segunda noite na Islândia.

 

Roteiro pela costa sul da Islândia

Não teríamos feito um passeio tão legal se não fosse a contribuição de outros blogueiros que foram antes da gente e nos contaram. Eis as nossas fontes:

Viagem à Solta
Dri Everywhere
Contando as Horas
Mikix no Mundo
London, sô!

 

Ahn! Só mais uma coisa!

E se você não quer dormir em camping e está procurando hospedagem na Islândia, não deixe de dar uma olhadinha nos nossos parceiros, o site Booking.com. Se fechar com eles depois de fazer a busca abaixo, a gente ganha uma comissão e você não paga nenhum centavo a mais por isso. Valeu!

 

Escrito por: Gleiber Rodrigues
Compartilhe:
comentarios:8
Posts Relacionados:
17
Jun
2016
8 comentários
  1. jose roberto rodrigues
    18/06/2016

    cara, fotos lindas
    vc toma algum cuidado especial ao fotografar no frio intenso ou neve
    abç

    • Oi José Roberto
      A primeira preocupação é que a bateria acaba mais rápido, então sempre levo duas. E na hora de entrar num lugar aquecido, lembre-se de tapar a lente, porque senão a umidade do lugar quente se condensa sobre a lente fria, embaçando tudo.

  2. Caramba, tudo lugar cinematográfico. Registros incríveis Gleiber, parabéns!!!

  3. Tereza Maria Rabello Gonçalves
    19/06/2016

    Gleiber e Sandro, que lugar lindo, apesar de mais frio que aqui. Adorei o texto e as fotos. Beijos aos dois Andarilhos do Mundo!

    • Oi Tereza! Muuuuito obrigado por passar por aqui e deixar um comentário. A natureza lá ajuda muito para saírem fotos boas. Basta apontar a câmera e pá!

  4. Natalie
    27/06/2016

    Oi, Gleiber. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

    • Oi Natalie!!!
      Eba. Você ainda se lembram de euzinho aqui…
      Que alegria! Muito obrigado mesmo!