Aurora Boreal no Snow Hotel em Kirkenes

A Cinthia Cebrian, minha colega de profissão, procurou a gente querendo contar a aventura vivida por ela e o marido aqui no blog para vocês. E que aventura! Eles conseguiram avistar a Aurora Boreal em Kirkenes, na Noruega, se hospedando no Snow Hotel e ainda caçando (ou pescando?) King Crabs!

Ruskies Siberianos

Tenho certeza de que vocês vão adorar essa história, assim como eu adorei:

 

by Cinthia Cebrian

Tudo começou com a vontade de ver a Aurora Boreal. Um dia li o post aqui no Andarilhos do Mundo e a vontade cresceu. Falei da possibilidade com meu marido e ele achou interessante. Ainda mais depois que ele lembrou que lá existe bacalhau aos montes e King Crab!

 

 

Programando a viagem para a Noruega

Comecei a pesquisar… Um tempo passou até que recebi um e-mail do Melhores Destinos falando da promoção para Frankfurt. Era quase meia-noite e ainda estávamos acordados. Li o e-mail para ele e quando vi ele já estava na página da TAM. Ele me perguntou: “Será que não tem promoção para Oslo também?” Em menos de vinte minutos já tínhamos comprado nossas passagens…

Iríamos para Noruega!

Agora faltava a logística da viagem. Como eu queria ir ver a Aurora, já estava decidido que iríamos até o norte, até Tromsø. Mas eu descobri que a “capital do King Crab” era um pouco mais ao norte, em Kirkenes. E quando eu coloquei no google maps… eu simplesmente não acreditei!

IMG_9260

Comecei a pesquisar sobre Kirkenes e descobri muita coisa legal! Muita coisa para fazer. E é isso que vou contar para vocês…

 

Snow Hotel – Kirkenes

Fizemos a reserva pelo site do hotel junto com as reservas dos passeios que o hotel oferece e recebemos a confirmação via e-mail. Também dá para fazer a reserva pelo Booking.com (aí os guris dos Andarilhos do Mundo ganham uma comissãozinha!).

Mas atenção, só dá para reservar uma noite! É um hotel um pouco diferente… Tentei fazer a reserva no Booking para duas ou três noites e o site dizia que não tinha disponibilidade. Foi no site do hotel que entendemos (não estava escrito em lugar nenhum) que só era possível passar uma noite lá.

Mas acho que se você quiser ficar mais do que uma noite, talvez consiga fazendo reservas separadas… E se você não estiver muito a fim de passar pela experiência de dormir dentro de um cubo de gelo a menos 4 graus, você pode reservar as cabines.

São quartos construídos separados, com uma baita janela para ficar olhando para o céu a procura da aurora (e num lugar aquecido… parece uma boa idéia também, né?). Nas cabines é permitida a reserva de mais de uma noite.

Quando você chega, assim como em qualquer hotel, você vai direto para a recepção e faz o seu check-in. Lá você separa em uma bolsa ou mochila (se você não tiver, eles emprestam uma sacola), tudo o que será necessário para passar uma noite. Artigos de uso pessoal (escova de dentes, shampoo…), roupa, dinheiro, máquina fotográfica, carregador… A partir das 18hs a recepção fica fechada e você só vai ver sua mala no outro dia. Portanto tire tudo o que você vai precisar!

 

Parte Gelada do Snow Hotel em Kirkenes, Noruega

Como chegamos às 14horas e a recepção oficial dos “overnight guests” era às 17hs, fomos explorar a área… A curiosidade era tanta que fomos direto ver a “parte gelada” do hotel.

Primeiro tem um ice-bar (que é o maior da Noruega), decorado com desenhos e esculturas no gelo, além de peles de animal sobre os bancos. Depois tem um corredor que liga todos os quartos ao ice bar e à “parte quente” do hotel. São vinte e três quartos, cada um decorado com desenho diferente.

Tive que entrar em todos para ver! Alguns quartos tinham cama de casal, outros tinham uma super cama para quatro ou cinco pessoas! Dá para dormir uma família inteira ali… Todas as esculturas e desenhos no gelo são feitas por artistas chineses que são, segundo dizem, os melhores.

Tinha muito desenho legal, mas confesso que vi um desenho do Mickey que fiquei com medo… Esta parte gelada derrete todo ano com a chegada do calor e quando o inverno se aproxima, lá vão os noruegueses fazer tudo de novo….

Snow Hotel Kirkenes - parte gelada

 

A parte quente do Snow Hotel em Kirkenes, Noruega

A “parte quente” do hotel também é muito legal. São três andares. No térreo estão os banheiros com chuveiros com piso aquecido e a sauna. Neste andar ficam também guardados todo o material que a gente vai precisar para dormir: meias de lã, balaclavas, bolsas de água quente, lençóis e sacos de dormir.

No primeiro andar está o restaurante Bingen (que só fica aberto para o jantar) e no segundo está uma área de convivência cheio de sofás, com café, chocolate quente e chá à vontade, além do wi-fi grátis. Neste último andar também tem outro restaurante (Hoyloftet) que é destinado às pessoas que vem só passar o dia no hotel para se divertir.

Área de convivencia do Snow Hotel de Kirkenes Noruega

Como estávamos com fome e ainda não tínhamos almoçado (o lanchinho do avião já tinha ido embora faz tempo), fomos conhecer o restaurante Gabba que fica dentro da área do hotel. Imagina tudo cheio de neve e uma cabaninha de madeira com fumaça saindo da chaminé…

Entramos na hora e já ficamos felizes de novo. Um ambiente pequeno, rústico, com o fogo no meio da sala (e um panelão nele), com mesas longas e bancos de madeira com peles e corações de madeira pendurados nas janelas.

Vários bichos empalhados e muita coisa típica nas paredes. Sentamos. Pedi uma sopa e depois um salsichão regados a água do ártico. As opções eram poucas… Gostoso, mas caro (como em qualquer lugar da Noruega).

Refeição no Snow Hotel em Kirkenes Noruega

 

Opções de Lazer do Snow Hotel

Depois do almoço, fomos aproveitar a neve. Pegamos emprestado um acessório para o snowshoe walking (tipo uma raquete – não sei como chama) e seguimos uma trilha na neve. Subimos um pequeno morro e encontramos pedaços de um avião que tinha caído na Segunda Guerra!

Snowshoeing por Kirkenes

Voltamos e fomos direto ao restaurante Gabba, onde aconteceria nossa recepção oficial. Todos que passariam a noite no hotel estavam lá.

As boas vindas incluíram uma salsicha de rena (se eu soubesse que iria ganhar uma salsicha, teria pedido outra coisa no almoço!). As renas são criadas como gado no norte da Noruega e a carne é apreciada por lá. A linguiça é feita com carne de rena e gordura de porco, já que a carne de rena é super light e não tem gordura quase nenhuma.

Recebemos informações sobre a cultura Sami, a fauna e a flora locais e explicações sobre o hotel e sua construção.

Do Gabba fomos para o ice-bar e brindamos com uma bebida local, o Glogg, um tipo de vinho quente meio licoroso e doce (não gostei muito não). Depois todo mundo teve a chance de conhecer todos os quartos e fomos conhecer a área quentinha do hotel.

 

Como Dormir no Snow Hotel

Recebemos orientações de como dormir… Foi aí que eu entendi que a noite não teria nada de romântica! Todo mundo iria dormir de roupa térmica (a primeira camada que a gente usa normalmente no frio), embora tivesse gente que dormisse de pijama.

Colocaríamos as meias de lãs e a balaclava emprestadas pelo hotel. Cada um ganhou uma bolsa de água quente (para esquentar os pés), um lençol e um saco de dormir específico para o seu tamanho. Levamos tudo para o nosso quarto gelado e fomos jantar.

Fomos acomodados no restaurante do primeiro andar e enquanto esperávamos a comida, recebemos orientações de como usar corretamente o saco de dormir para não passar frio… Essa hora foi muito engraçada!

Imagina um norueguês de quase dois metros de altura, colocando uma balaclava e entrando dentro de um saco de dormir e se movimentando feito uma minhoca… sem comentários. Mas todas as informações que ele deu foram super úteis, principalmente o que e como fazer se você tiver que levantar a noite para ir ao banheiro.

O jantar estava bom, mas a sobremesa… inesquecível! Era um sorvete de creme com blue e brown cheese derretidos! Pena que eu não tirei foto. O blue cheese da Noruega é um queijo parecido com o Roquefort, com gosto um pouco mais intenso.

Agora o brown cheese é completamente diferente, é ligeiramente doce e delicioso. Só sei que, depois disso, passei 15 dias comendo brown cheese no café da manhã. Comia a fatia pura com café preto…

 

A Aurora Boreal em Kirkenes

Depois do jantar fomos em busca das Northern Lights. Fizemos o passeio de van – Aurora Express. Tem opção de fazer com snowmobile ou de trenó, mas eu preferi a van porque assim eu teria um lugar quentinho se não aguentasse o frio.

A lua estava cheia e atrapalhou um pouco a visualização. Mas ver a aurora pela primeira vez é difícil de descrever. Como era a nossa primeira noite de caçada a aurora eu acabei mais olhando do que tentando tirar fotos.

Estava ventando e a sensação térmica foi de menos dez graus. E eu até tentei ajustar a máquina, mas ficar sem luva não dava. Desisti da foto…

Quando voltamos para o hotel, conversamos com algumas pessoas que contaram que viram as luzes ali mesmo, ou seja, de graça! O hotel fica afastado da cidade e é um bom ponto para observar a aurora. Só que a gente não sabia disso…

 

#PartiuDormirNoFrio

Já era tarde, pegamos nossas coisas e fomos tomar banho. Dentes escovados, lentes retiradas, meias de lã colocadas, balaclava em baixo do braço e partiu dormir no frio.

Saí do quentinho de roupa térmica com o casaco por cima e com minhas botas inseparáveis. Quando cheguei no quarto, Marcelo já estava lá todo ensacado, só com os olhos de fora.

Abri meu saco de dormir, coloquei o lençol e a bolsa de água quente e aproveitei para guardar as baterias da máquina dentro do saco (no frio elas descarregam muito rápido). Deixei meu “pau de selfie” ao lado do saco.

Coloquei a balaclava e, num movimento ninja, tirei meu casaco e deixei em cima das peles da cama junto com minha mochila, tirei minhas botas e pulei para dentro do saco. Tudo muito rápido e calculado!! Aí, quando eu já estava quentinha de novo, pus meu braço para fora e peguei meu “pau de selfie”. Tinha que registrar o momento!

IMG_8720

E adivinha o que aconteceu? No meio da noite fiquei com vontade de fazer xixi… Na hora que acordei, pensei que já passavam das seis ou sete horas, mas para minha infelicidade eram quatro e meia da manhã!!!

Até tentei voltar a dormir, mas não teve jeito. Tive que levantar… só digo uma coisa: não bebam muito líquido no jantar e nem o Clogg que oferecerem no passeio em busca da aurora!

 

Atrações para passar o Dia no Snow Hotel

Levantamos às sete horas, nos arrumamos e fomos tomar café da manhã. Deixamos nossa mochila na recepção porque os quartos tem que ficar livres para os visitantes que vão conhecer o hotel durante o dia.

Não tínhamos passeio programado para o período da manhã, então ficamos curtindo o hotel. Andamos de kick-sledge (em norueguês: spark), um tipo de trenó que as pessoas usam como meio de transporte. Muuuito divertido!

DSC07412

Fomos ver as renas que estão dentro do hotel. Lá tem até uma rena branca que é bem rara. A lenda diz que o primeiro encontro com uma rena branca significa sorte. O segundo encontro, que você teve uma vida longa e boa. O terceiro encontro, que você já viveu bastante e que deve estar próxima a hora de passar dessa para melhor… (ops!)

IMG_8734

O hotel também tem muitos huskies, acho que uns 50. Eles puxam os trenós e fazem vários passeios. Mas optamos por não fazer os passeios com os cachorros. Outra coisa que não fizemos foi dirigir snow-mobile.

Se você quiser, precisa levar sua carteira de habilitação. Como não tínhamos interesse, nem fui procurar qual tipo de carteira é exigida. Todos esses passeios devem ser reservados com antecedência e pagos a parte.

DSC07375

 

Pesca do King Crab

Um dos objetivos da nossa viagem era “pescar” o King Crab. Reservamos o passeio para a hora do almoço. De roupas especiais e capacetes, fomos levados de trenó puxado por um snow-mobile para a beira do fiorde congelado.

O gelo já havia sido perfurado e a gaiola havia sido lançada na água na noite anterior. Quando chegamos lá, só puxamos a gaiola para fora da água. Mas eles explicaram e mostraram como perfurar o gelo e como preparar a gaiola com isca de bacalhau.

Quando a gaiola saiu da água, tinha oito criaturas gigantescas! Hora da foto!

Os caranguejos foram sacrificados e suas preciosas patas removidas. Tudo o que sobrou voltou para o mar. E, acredite, vi o bacalhau (com cabeça!!) pegar os restos mortais…

No inverno, a pesca do King Crab é feita perfurando o gelo do fiorde congelado porque os caranguejos vem para os fiordes. No verão, os caranguejos saem dos fiordes e vão para o mar e a pesca é feita de barco. Essa foi uma das coisas que só aprendi lá.

Nenhum site especifica esta diferença. Meu marido viajou crente que ia entrar em um barco… Mas no fim gostou da história do trenó e do gelo.

DSC07424

Subimos no nosso trenó e debaixo de neve fomos parar num rancho a beira do fiorde. As patas foram lançadas em uma panela grande com um pouco de água e sal. Esperamos em uma casinha aquecida até que a refeição ficasse pronta.

Foi uma das melhores coisas que eu comi na minha vida!! Aliás este foi um ponto alto desta viagem. Comi o melhor King Crab, o melhor salmão e o melhor bacalhau da minha vida…

Eles comem o King Crab com fatias de pão tostado, limão, margarina ou maionese e só.

DSC07436

Com a barriga cheia (devo ter comido umas sete pernocas) e feliz da vida, voltamos para o hotel para buscar nossas malas e voltar para a cidade. Eu só não sabia que o próximo dia ia ser tão legal quanto o que estava acabando…

 

E aí, pessoal? Gostaram da história da Cinthia? Deixem suas opiniões aqui embaixo, nos comentários. E se você também quiser deixar o seu relato, fique à vontade de escrever para a gente (contato@andarilhosdomundo.com.br).

E aguardem, que em breve tem mais história da Cinthia pertinho do polo norte!

 

E para pesquisar o seu hotel em Kirkenas, na Noruega ou em qualquer outro lugar do mundo, vale a pena conferir o site do Booking.com. Reservando após clicar no nosso link, a gente ganha até 1% de comissão, gente! É uma merreca, eu sei, mas vai ajudar o nosso site a continuar vivo. Ajuda aeee!

Escrito por: Gleiber Rodrigues
Compartilhe:
comentarios:11
Posts Relacionados:
15
Apr
2015
11 comentários
  1. Fabíola
    15/04/2015

    Adoreeeiii a história!
    Aguardando cenas do próximo capítulo 🙂

  2. Cibele
    15/04/2015

    Sensacional!!!
    Já sabia uns detalhes da viagem, porque sou amiga da Cinthia desde a faculdade, mas ela contou tudo bem melhor por aqui!!!
    Já comi King Crab em Ushuaia, mas fiquei com a sensação de que esse aí é melhor ainda!! Vou ter q ir lá pra provar!

  3. Mariléa
    16/04/2015

    Muito legal! Vocês são muito loucos e possibilitam pegarmos “carona” nas loucuras de vocês e vivermos as que nos forem possíveis. Parabéns!

  4. Com certeza sensacional!!!! parabéns. Abraços

  5. Alexandre
    26/05/2015

    Nossa! Essa viagem parece ter sido incrível! Confesso que eu também fiquei com água na boca de ver a foto do prato com king crab e ler a história!

  6. Vítor
    07/11/2015

    Parece tudo tão espetacular! Fica a nota para um próximo desafio 😉

    http://www.ateondevaioumbigo.wordpress.com

  7. Sartenada
    16/04/2016

    Eu gosto muito o seu blog. Estive em Kirkenes no verão há alguns anos. Você já visitou a Finlândia, porque no inverno é bonito e oferece algumas experiências surpreendentes?

    Minhas ligações:

    o Maior Castelo de Neve do Mundo.

    O Círculo Polar Ártico no inverno.

    a competição alegre da condução da rena/a>.

    Saudações da Finlândia

    • Oi
      Nós vamos para a Finlândia em Agosto de 2016 pela primeira vez. Este post foi escrito por uma colaboradora. Gostei das dicas (se bem que a gente vai no verão)
      Obrigado