Visitando Nova York: por uma apaixonada pela cidade

Hoje abrimos as portas do nosso blog para publicar um post escrito pela Filipa, esposa do Rui, parceiros do incrível blog “Visitar Nova York“. Dá para ver o quanto eles curtem essa cidade, que a gente (que vergonha!) ainda não conhece.

Nova York 2

Outros artigos legais com dicas da cidade, vocês poderão ver lá no site: o Visitar Nova York. Divirtam-se:

 

Nova York sempre foi a cidade que mais desejei conhecer

Na primeira oportunidade que tive, o destino estava escolhido. Foi um dos dois destinos da minha lua-de-mel e como tal apenas lá fiquei 5 dias (4 noites). Os horários dos voos não facilitaram a estadia que se transformou em apenas 3 dias completos que foram aproveitados ao máximo, até onde o cansaço permitiu.

Planeei alguns dos locais a visitar com antecedência mas também me deixei levar pela cidade e dessa forma pude viver algumas experiências que para mim foram inesquecíveis.

Planeio voltar em breve com novos planos nesta nova visita mas sempre com a vontade de viver ao máximo as inúmeras surpresas que esta cidade maravilhosa tem para nos proporcionar.

Para já deixo aqui o relato da minha visita de 3 dias em Nova York.

 

Chegada a Nova York

A chegada ao aeroporto de New Jersey foi depois das 13h. Enquanto planeava a viagem adquiri um transfer que me transportaria do aeroporto de New Jersey até Manhattan.

Os serviços de transfer em Nova York funcionam bastante bem e possuem inúmeras alternativas de transporte consoante o gosto de cada um. Ao adquirir o transfere com antecedência eliminei uma preocupação e assegurei que chegaria ao meu destino na hora pretendida.

Na viagem do aeroporto para o hotel o motorista revelou-se, em conversa, ser uma simpatia. Conservamos grande parte da viagem e ele ainda fez o favor de me deixar mesmo em frente ao hotel. O transfer selecionado não parava mesmo à porta do hotel onde ficaria alojada, já o sabia, mas travar amizade com o motorista safou-me! Foi uma viajem deveras agradável e que me deu a conhecer a simpatia dos moradores desta cidade.

 

Alojamento no Soho

O hotel onde fiquei alojada foi o Sohotel, situado no número 341 de Broome Street. Trata-se de um dos mais antigos edifícios de hotelaria da cidade de Manhattan, tendo sido renovado ao longo dos anos. Este hotel já foi denominado de “The Westchester”, “The Occidental” e “The Pioneer” e faz esquina com a Bowery Street, um dos percursos mais antigos de Manhattan que se estende de Norte a Sul da ilha desde os tempos pré-coloniais.

Este hotel não possui quartos muito grandes, mas pela relação qualidade-preço, a localização e o conforto bastante aceitável, voltaria a lá ficar hospedada.

Para quem visita Nova York, um hotel representa apenas um local para dormir. Logo, se o mesmo for confortável, limpo, bem localizado e com um valor por noite aceitável, então temos tudo o que é preciso.

 

Percorrer a cidade

A Big Apple é uma cidade com um movimento incrível, cuja energia e boa vibração emanam de cada esquina dobrada e no decorrer de cada avenida percorrida.

Pela minha experiência Nova York é uma cidade demasiado bela para não ser percorrida a pé.

É uma cidade em que dificilmente nos perdemos tendo apenas a pequena ajuda de um mapa. A configuração das ruas e avenidas é bastante simples, variando apenas no Financial District. Passeando pela cidade de Manhattan a pé, há sempre a possibilidade de descobrir no virar de cada esquina um café, uma loja, um evento ou até um monumento que sempre quisemos visitar mas que não foi planejado.

Nova York 3

Não deixe de estar aberto às surpresas que a cidade tem para lhe oferecer. Poderá também parar e desfrutar do movimento serpenteante da cidade e deixar-se estar simplesmente a absorver a sua energia. Para mim foi uma experiência verdadeiramente emocionante já que sonho com esta cidade desde pequena e só o simples facto de lá estar deixou-me plena de felicidade.

Por todos os estes motivos aconselho a utilização do metro apenas em percursos mais longos e para os quais já não tiver “pedalada”.

No entanto, não deixe de experimentar pelo menos uma viagem de metro, pois estará sempre sujeito a algumas surpresas: mudanças de linha ou trocas de comboio a meio do percurso são anunciadas aos viajantes por vozes quase sempre ininteligíveis e que o fazem ficar “perdido”. Mas não desespere! Haverá sempre algum “local” no metro que consegue decifrar estes comunicados e dar-lhe uma ajuda. Fala a voz da experiência!

 

Experiências gastronómicas

Se aprecia a cultura nova iorquina e se gosta de comida, não pode deixar de planear algumas experiências gastronómicas na cidade.

O pequeno-almoço é uma refeição essencial para começar o dia. E na minha experiência nada como começar em grande!  Numa das manhãs, com um pouco mais de disposição, apreciei um pequeno-almoço bem recheado, com panquecas e xarope de ácer, salada de fruta, iogurte com granola, sumo e um cappucino.

A minha experiência foi no bairro de Little Italy, no número 177 de Mulberry Street. O Grotta Azzurra é um café restaurante com menus para todas as ocasiões do dia e com uma excelente variedade e qualidade. Não se engane pela nacionalidade do restaurante, no que diz respeito ao pequeno-almoço os sabores são mesmo nova iorquinos e em grande!

Num dos almoços experimentei comer um hot-dog num dos “hot-dog carts” presentes no Financial District: senti-me como se estivesse numa cena de um filme, cujo protagonista era eu!

São inúmeros os carrinhos que vendem cachorros quentes e pretzels nesta zona da cidade. Aqui se encontram a maior parte dos escritórios logo é natural que se encontrem muitos locais, vestidos a rigor, a desfrutar de um cachorro quente, sanduiche ou salada na sua pausa para almoço.

Não deixem de experimentar, os cachorros quentes são simples na sua composição mas muito bons!

Ao jantar poderá desfrutar de todo o tipo de experiências gastronómicas: desde as mais simples às mais requintadas.

Deliciei-me com as pizzas e com a simpatia que encontrei no restaurante Arturo’s situado no número 106 de Thompson Street. O movimento neste típico restaurante que cozinha as suas pizzas em forno a carvão é fenomenal. Os funcionários movem-se num constante corrupio para satisfazer rapidamente todos os pedidos e contagiam a sala com a sua boa energia.

No Jane, situado no número 100 de West Houston Street, degustei um menu tipicamente nova iorquino servido com requinte e toques bem gourmet. Recomendo o Jane’s burger acompanhado de uma salada de rúcula e um copo de bom vinho.

 

Apreciar a Skyline

Avistar Nova York do alto de um dos seus edifícios é certamente uma das experiências a não perder. A minha melhor experiência ocorreu no Empire State Building, um destino obrigatório na visita a Nova York.

Desloquei-me ao edifício ao final da tarde, tendo em conta que iria encontrar filas (cujo tamanho depende da época do ano), e subi assim que possível para desfrutar do magnífico pôr-do-sol sobre a cidade. A vista que encontrei é verdadeiramente deslumbrante e inesquecível.

Levei a máquina fotográfica pronta a captar todas as imagens possíveis. O degradê de cores no horizonte, as luzes que começavam a tilintar nos inúmeros edifícios, o movimento dos carros e táxis nas avenidas, os barcos no rio, as pontes iluminadas e o cair do manto escuro sobre a cidade…consegui desfrutar de tudo isto e ainda guardar para mim alguns destes momentos em foto.

Nova York 2

A travessia da Brooklyn Bridge a pé é obrigatória para quem pretender desfrutar da magnífica vista da cidade de Manhattan. Para mim foi um passeio excitante e em que me diverti imenso. Aqui aproveitei para tirar muitas fotografias. Apesar dos inúmeros caminhantes, consegue-se sempre captar o momento pretendido.

A vista crescente sobre a Skyline de Manhattan, os carros a circular no piso inferior da ponte, a arquitetura da ponte e sua história fascinaram-me imenso e por tudo isto não dispensarei uma nova travessia na minha próxima visita.

Se pretender ter uma visão ainda mais alargada da Skyline e ao mesmo tempo poder ver mais de perto a Estátua da Liberdade, faça como eu e embarque no Staten Island Ferry que liga a baixa de Manhattan a Staten Island. Este ferry é gratuito e possui uma frequência regular durante todo o dia, por isso é fácil chegar ao porto de Manhattan e ter um ferry a partir dali a uns minutos.

Na travessia desfrutei do passeio de barco e pude observar a Estátua da Liberdade na Liberty Island, Ellis Island e a Skyline de Manhattan de uma forma ainda mais abrangente. Como optei por não visitar a Estátua da Liberdade por limitações de tempo esta foi a forma que encontrei de ainda assim poder ver a emblemática estátua de perto. Se tiver sorte e o tempo estiver do seu lado, tire todas as fotos que pretender pois as vistas são de facto formidáveis.

 

Principais atrações

Apenas em 3 dias e com muitas caminhadas à mistura, o plano de visitas que fiz foi cumprido de forma relaxada e organizada.

 

Primeiro dia

Times Square foi visita obrigatória logo no primeiro dia. Deliciei-me com a luminosidade do local, o movimento nas ruas, a dimensão das lojas e restaurantes e a profusão de vendedores e anunciantes de espetáculo e eventos.

Sentei-me nas bancadas ali existentes bem por baixo do edifício onde todas as passagens de ano cai a bola que assinala a chegada de um novo ano. Deixei-me estar um pouco, fotografei, assisti a um casamento no local (Sim! Um casamento em plena Times Square durante o dia!) e absorvi toda a energia do local.

Durante os 3 dias em que estive em Nova York revisitei várias vezes Times Square. Voltei lá para fazer compras na MAC (apenas as aficionadas de maquilhagem irão entender), para assistir a um espetáculo na Broadway, para jantar no Hard Rock Caffé, de passagem para ir visitar o Empire State Building, no caminho para a curta visita à Grand Central Station… enfim, Times Square foi o epicentro de passagem para muitas visitas aos locais escolhidos para esta curta estadia.

 

Segundo dia

No segundo dia de visita, fiz uma caminhada para o sul da ilha e dirigi-me até ao Financial District. Nesta zona da ilha, em contraste com os bairros anteriores, senti-me quase esmagada tal é a altitude e profusão de edifícios de escritórios. No Financial District encontrei o Charging Bull, visitei a Trinity Church e passeei pelas inúmeras ruas passando pela Trump Tower, Tiffany & Co., a New York Stock Exchange e caminhei ainda pela famosíssima Wall Street.

O local do Ground Zero situa-se também ali ao lado e pude observar o local bem como as obras para a construção da Freedom Tower , o terceiro edifício mais alto do mundo, que se erguerá naquele local recordando ao mundo o episódio trágico que ali ocorreu.

 

Terceiro dia

No último dia em Nova York, com o tempo a meu favor dirigi-me ao Central Park, imenso parque em Manhattan. Adorei o passeio pelo parque até ao Great Lawn. Não fui mais longe pois as pernas já não mo permitiam nesse dia. Fica a vontade para uma próxima visita.

O parque é fenomenal e na altura do ano em que fui, Outono, as cores espalhadas por todo lado eram quentes e aqueciam-nos a alma num dia de sol ameno. Vi e fotografei imensos esquilos, vegetação, um casamento que se realizava no Belvedere Castle juntinho ao lado das tartarugas, passeei e por fim deitei-me no enorme relvado do Great Lawn e descansei. Deixei-me estar a apanhar sol, a curtir o bom tempo e a namorar (afinal estava na minha lua-de-mel!).

Nova York 1

Haveria muito mais para contar, pois afinal estive na “cidade que nunca dorme”, e tudo o que dizem sobre ela é bem verdade: há sempre muita coisa a acontecer a qualquer hora do dia, há sempre algo para fazer, coisas novas para conhecer. Mas tal como Nova York, não posso revelar tudo numa primeira vez, senão, perderei o encanto!

 

 

Após esta magnífica viagem, a Filipa e o Rui (autores do artigo) decidiram criar o blog Visitar Nova York, que pretende levar até si tudo sobre esta fantástica, viciante e inebriante cidade.

Faça-nos uma visita e conheça mais sobre Nova York.

 

Escrito por: Gleiber Rodrigues
Compartilhe:
comentarios:3
Posts Relacionados:
23
Jul
2013
3 comentários
  1. Filipa
    23/07/2013

    Obrigado pela publicação do artigo!
    Amo de paixão Nova York, por isso deu-me muito gozo escrever este artigo contando um pouquinho do que foi nossa lua-de-mel por lá.

    Também curti muito conhecer o vosso blog e vou continuar seguindo vossas aventuras!

    Até breve!

    Filipa

  2. Fernanda
    23/07/2013

    Tb adoro a cidade! Não me conformava que até o ano passado só tinha passado rapidamente por lá (meio dia!), mas em 2012 finalmente voltei. Uma semana não foi suficiente, mas conto as minhas experiências aqui: http://taindopraonde.blogspot.com.br/search/label/NY