Cluj-Napoca e o fim da jornada pela Romênia

A nossa jornada de 10 noites pela Romênia foi inesquecível e rendeu histórias engraçadas, além de belos registros fotográficos. Foi com pesar que dirigimos quase 5 horas até chegarmos à ultima cidade que conheceríamos neste belo país: Cluj-Napoca.

Cluj-Napoca B-dul Eroilor

Não tínhamos nenhum interesse turístico especial pela cidade. Fomos até lá, na verdade, para devolvermos o carro que tínhamos alugado e pegar o nosso voo em direção ao nosso próximo destino: Dubrovnik, na Croácia.

Mesmo assim, tenho algumas dicas para compartilhar e algumas impressões dessa parte final do roteiro.

 

Atravessando os Cárpatos pela última vez

Depois de ter visitado 4 mosteiros em Bucovina, uma das coisas mais lindas que vimos em toda a viagem, era hora de cruzar a montanha de volta para dentro da Transilvânia.

Uma coisa que aprendemos depois de dirigir por estradas de montanha é que você gasta muito mais tempo do que imagina. Na subida, as curvas e a força exigida do motor não permitem passar de 40-50km/h. Na descida, o cuidado para não sair pela tangente acabam te fazendo pisar no freio.


Exibir mapa ampliado

Isso sem falar nos longos trechos em fila indiana, sem poder ultrapassar. Então, percorrer a distância de 276km levou quase 5 horas, sem falar nos engarrafamentos e nos diversos trechos em que a estrada cruzava uma linha férrea e nos fazia esperar a passagem dos trens.

 

Cluj-Napoca: primeiras impressões

Era já bem tarde quando chegamos no perímetro urbano da segunda maior cidade da Romênia (só é menor que a capital, Bucareste). Grandes e largas avenidas se espalham pela capital da Transilvânia, que tem pouca beleza na região da periferia.

O trânsito até que estava fluindo bem e o GPS nos levou direitinho ao nosso hotel, que tinha estacionamento incluído. Prédios históricos e praças preservadas? Só mesmo no centro. Todo o resto da cidade tinha aquela arquitetura comunista funcional típica: predinhos sem personalidade todos muito parecidos entre si.

Cluj-Napoca 3Olhando assim, não tem nada de muito bonito, tem?

No fundo, achei Cluj (repararam na intimidade?) parecida como uma cidade brasileira de porte médio, só que sem a parte miserável, e também sem a parte riquíssima. Mas, infelizmente, era noite e não tiramos fotos dessa parte de dentro do carro.

 

Dica de Hospedagem: Siago Hotel

Um hotel que adoramos e recomendamos. Depois do café da manhã em Bran, lá no início da viagem, finalmente tivemos um café da manhã gostoso e decente. Os quartos eram ótimos e o atendimento, nota mil!

Cluj-Napoca Hotel Siago

Logo na chegada, tivemos dicas sobre onde jantar com desconto, mesmo com o tardar da hora. Recebemos um mapa da cidade e sugestões de lugares para passear, mesmo com o pouco tempo que tínhamos. Em frente ao quarto, tinha uma máquina de café e biscoitos para comermos à vontade.

Cluj-Napoca café da manhã Hotel SiagoCafé da Manhã

Não tirei muitas fotos, porque estávamos morrendo de fome e faltava pouco para os restaurantes da cidade fecharem as portas (acho que eram 23h, mais ou menos). A localização era muito próxima do vuco-vuco da zona mais turística, o centrão mesmo.

Resumindo, indico para todos vocês (principalmente porque tem a possibilidade de estacionamento, perfeito para quem está fazendo uma road trip como nós).

Pensiunea Siago
Endereço:  Cluj Napoca, rua Republicii n. 33
E-mail: office@pensiuneasiago.ro
Site oficial: http://www.pensiuneasiago.ro/eng

123x38_en_logo
Reserve este hotel pelo Booking.com (sim! eu ganho uma comissãozinha, hehehe)

 

Cluj-Napoca: o que fomos fazer lá?

Então… Como é a segunda maior cidade romena, há agências de aluguel de carro e um aeroporto decente na cidade. Conseguimos achar um esquema de voo Cluj – Munique – Dubrovnik que saía a um preço camarada para que não precisássemos chegar até a Croácia de carro atravessando toda a Hungria e nos consumindo tempo.

fonte: Wikipedia

Uma dica a todos aqueles que estão planejando uma viagem de carro. Se o seu roteiro não for circular sempre veja os prós e os contras de alugar o veículo numa cidade e devolver em outra. Às vezes compensa, às vezes não.

Cluj-Napoca Piata Unirii

Para nós, por exemplo, não tinha cabimento passar um dia inteiro dirigindo até Bucareste para pode devolver o carro no mesmo lugar, principalmente porque o preço das passagens aéreas de Bucareste para Dubrovnik não seriam mais baratas.

Cluj-Napoca becos históricos

Como nosso voo era só no começo da tarde, resolvemos dar uma volta pelo centro e até que não achamos a cidade tão feia assim. Nossa primeira impressão, de quem vinha dirigindo desde a periferia (onde há muitas indústrias, armazéns e pouco charme) tinha se revelado muito injusta, na verdade.

Cluj-Napoca igreja São Miguel e estátua de Mathias Corvin

Mas, na boa, não justificaria perder uma noite aqui só para passear por ela não…

Cluj-Napoca ruas

 

Nossa jornada chega ao fim

Assim, os Andarilhos terminam a sua jornada pela Romênia, abandonando o país pela capital da Transilvânia. Ainda nos resta alguns posts para escrever, compilando algumas impressões, curiosidades e dando sugestões de roteiro para quem tiver vontade de se aventurar por lá.

Banner lateral croácia

Mas não menos importante, agora começaremos a falar um pouco de outra jornada superlegal também: Croácia e Eslovênia, que desbravamos nesse mesmo Agosto de 2012. Vocês não perdem por esperar.

 

andarilhos do mundo na transilvânia

Querem ler outros post sobre essa jornada pela Romênia? Clique no banner acima ou nos links relacionados abaixo:

O que é que Bucareste tem? – Atrações da cidade
10 Mentiras que contam sobre Bucareste – e umas aventuras
Dicas de Bucareste – Informações práticas
Bucovina: a joia escondida da Romênia

Escrito por: Gleiber Rodrigues
Compartilhe:
comentarios:7
Posts Relacionados:
25
Jun
2013
7 comentários
  1. Rafael Carvalho
    26/06/2013

    Depois de todos os seus post’s chego a uma conclusão. Eu PRECISO conhecer rs! Abração, Rafa

  2. João Luiz Schneider Junior
    01/08/2014

    Primeiramente parabéns pela sua página. Bem escrita, cheia de detalhes, curiosidade e tal… Estou indo pra europa pela terceira vez, porém, será minha primeira vez sozinho e pelo leste europeu. Queria incluir a Romênia em meu roteiro, mas sempre ouço falar que no leste há uma grande barreira que é o idioma.. é verdade? o inglês por lá não impera? pouca gente fala inglês? gostaria de saber quais foram suas dificuldades e como posso minimizá-las. Desde já lhe fico grato pela atenção dispensada. João

    • Nas partes turísticas, haverá sempre quem fale inglês. Nos hotéis também. Pense que é como o Brasil. Embora quase ninguém fala inglês de verdade, sempre achamos alguém que sabe o básico necessário para um turista se virar. Complicado é se fosse na Rússia, onde o alfabeto é diferente. Mas na Romênia a gente se virou muito bem. Até porque o povo de lá é muito simpático e sempre tenta fazer o que pode para te entender e te ajudar. Abraços.

  3. Luiza
    13/05/2016

    Olá, gostaria de saber como vocês fizeram sobre seguro de saúde, estou querendo conhecer a Romênia mas nunca fiz uma viagem internacional antes, ainda mais indo “com a cara e a coragem” por assim dizer, sem intermédio de uma empresa de turismo hahaha
    Li que é importante ter este seguro, mas não tenho lá muita noção sobre.

    Obrigada

    • Oi Luiza,
      Eu sempre uso o do cartão de crédito (quem tem cartão platinum ou melhor tem direito, dá para entrar no site e checar por lá as informações). Outra opção é contratar uma empresa de seguro de viagens, há várias que são online e aceitam pagamento via cartão de crédito ou pay pal. Dê um google aí que você acha várias boas.
      Abraços.

      • Luiza
        17/05/2016

        Certo, muito obrigada! 🙂