Vulcão Rano Kau – o mais exótico da Ilha de Páscoa

Na paisagem selvagem da Ilha de Páscoa, destacam-se três picos que valem a visita: o vulcão Rano Kau, o vulcão Rano Raraku e o vulcão Teravaka. Claro que nós, como bons Andarilhos do Mundo, exploramos todos eles de cima abaixo para trazer todas as dicas até vocês.

Rano Kau panorama do vulcão da iha de páscoa

E adivinham o que descobrimos? Paisagens das mais loucas do mundo! Convido aqueles que pensavam que as únicas belezas da Ilha da Páscoa eram as suas imensas estátuas de pedra (os moais) a desbravarem conosco este cenários exóticos e surreais.

Bora?

 

Os vulcões na Ilha de Páscoa

Se vocês olharem bem para o mapa da Ilha de Páscoa, vão notar que ela tem a forma de um triângulo (ou de uma tartaruga marinha, segundo os mais criativos).

isla de pascoa wikipediaFonte: Wikipedia

Perto de cada ponta desse triângulo há um grande vulcão adormecido, mas além destes há ainda alguns outros vulcões menores. Visitá-los é gratuito, à exceção de Rano Raraku, que fica ao lado da “fábrica de moais”, um sítio arqueológico de acesso controlado.

Mas o post sobre Rano Raraku é outro. Decidimos começar a nossa série de três posts sobre os vulcões da ilha de Páscoa falando sobre o vulcão Rano Kau, o mais fácil de chegar.

 

Acesso ao Vulcão Rano Kau

Este é o vulcão mais próximo de Hanga Roa (a “capital” da Ilha de Páscoa). E chegar lá não tem como ser mais fácil. Se estiver de carro ou de bike, basta seguir pela estrada de chão batido que sai da direita do aeroporto. Veja o mapa abaixo (linha vermelha):


Visualizar Rano Kau em um mapa maior

Seguindo pela estrada, são apenas 6km morro acima. De carro foi facinho. Vimos também vários turistas fazendo esse trajeto de bicicleta e ficamos com um pouco de pena deles, principalmente porque choveu bastante no dia em que estávamos lá.

ir para Rano Kau de bicicleta ilha de páscoa

Agora, se você quiser ir à pé, é uma trilha fenomenal. O caminho também é íngreme, mas a subida é gradual e são só 3km. A paisagem, como você pode ver abaixo, dispensa adjetivos.

Rano Kau trilha de acesso

Marcamos a trilha para pedestre no mapa acima com uma linha amarela. Para facilitar, todo o trajeto é bem demarcado e tem até pontos de descanso com sombra para os trekkers. Repare na plaquinha da foto abaixo:

trilha sinalizada para o vulcão Rano Kau ilha de páscoa

Você vai saber que chegou no lugar certo quando vir um monte de carros estacionados e um movimento de turistas. Caso esteja na ilha numa época muito vazia, não tem problema: o mirante está muito bem sinalizado.

Vulcão Rano Kau mirante

E depois de chegar lá de cima, o que há de tão bonito?

 

Petroglifos

Para começar, um dos principais desenhos feitos pela civilização Rapa Nui em uma pedra pode ser conferido justamente aqui, na borda do vulcão Rano Kau. Repare nesta rocha (um petroglifo) e tente enxergar a imagem de um homem-pássaro, herói divinizado e adorado por eles.

Rano Kau petroglifo da ilha de páscoa

Não viu nada? Não se culpe. É difícil mesmo. Culpa da erosão, da chuva e do vento que vem apagando as inscrições. Mas deixa eu mostrar o que você “deveria” ver, talvez facilite as coisas:

birdman-petroglyph orongoFonte: http://blogs.crikey.com.au/northern/2009/05/19/el-ritual-del-hombre-pajaro-the-bird-man-cult-of-rapa-nui/

E agora? Viu?

 

Paisagem cheia de Água

Mas é claro que o mais importante para ser visto ali não é petroglifo nenhum e sim este cenário incrível. A altura da cratera mede incríveis 200 metros. E dá para enxergar uma parte ao fundo que desmoronou graças ao ininterrupto impacto das ondas do mar, erodindo sua base.

Rano Kau mirante do vulcão da ilha de páscoa

Lá embaixo, a água empoçada das chuvas forma um dos 3 únicos reservatórios naturais de toda a ilha. A vegetação que cresce abrigada da ventania é basicamente formada por um capim cuja fibra é usada para trançar cordas e tecer roupas tradicionais. Dá para ver essas roupas no vídeo que fizemos da apresentação folclórica Rapa Nui (clique aqui para ler o post).

Rano Kau vegetação Ilha de Páscoa

O aceso à parte baixa da cratera do vulcão Rano Kau (de 1,6 quilômetro de diâmetro!) só é permitido aos nativos para que eles colham as plantas necessárias ao seu artesanato. Entretanto, dá para seguir através de uma trilha que margeia o lugar até a guarita do Sítio Arqueológico de Orongo (cuja entrada é paga).

Rano Kau borda do vulcões da Ilha de páscoa

 

Orongo e Moais

Aldeia Rapa Nui restaurada e palco real da cerimônia do homem-pássaro, Orongo é um lugar imperdível. Fica justamente na borda externa do vulcão Rano Kau, o mais exótico dos três vulcões na Ilha de Páscoa. Logo escreveremos um post justamente sobre Orongo.

E para quem está se perguntando se há moais (as estátuas gigantes de pedra) por ali, sinto informar que não. Na verdade, já existiu uma plataforma na região, mas ela caiu no mar. Imagina como deve ser legal fazer um mergulho para ver as estátuas submersas, hein? Se bem que pode não ser muito seguro mergulhar perto de onde as ondas batem nas paredes do vulcão…

Falando em segurança… Acredita que mesmo com os pés fincados no chão a gente ficou com medo de cair lá embaixo?

 

A Ventania em Vídeo

Durante nossa viagem fez chuva, calor, frio, sol de rachar e, principalmente, ventou muito. Todas as vezes que subimos em algum lugar mais alto, como nestes vulcões, tínhamos a impressão de que seríamos jogados lá embaixo, tal era a força dos ventos.

Veja se estamos mentindo (desculpem pelo áudio, mas acho que a ideia era essa):


Rano Kau from Andarilhos do Mundo on Vimeo.

E aí? Ficaram com medo também? 

andarilhos do mundo banner ilha de páscoa

Confira tudo o que já publicamos sobre a ilha de Páscoa clicando no banner acima. Ou siga os post relacionados abaixo:

Hanga Roa

Guia para Hanga Roa

 

Ruínas, Estátuas e Arte Rupestre

Caçando os Moais da Ilha de Páscoa
Turismo Arqueológico além dos Moais
O verdadeiro umbigo do mundo – e bem limpinho

 

Atrações Turísticas da Ilha de Páscoa

Dá praia na Ilha de Páscoa
Show Folclórico Rapa Nui com Jantar
Vulcão Rano Raraku – o mais lindo

Vulcão Teravaka – o mais alto
Vulcão Pu’i – o mais nada a ver

Escrito por: Gleiber Rodrigues
Compartilhe:
comentarios:12
Posts Relacionados:
06
Feb
2013
12 comentários
  1. Jodrian Freitas
    07/02/2013

    Ótima dica, Gleiber
    As paisagens são belíssimas. Anotado 🙂

    Abração
    Jodrian

  2. Rafael
    07/02/2013

    Olá,

    Muito bacana esse post sobre o Rano Kau. Tenho acompanhado as postagens sobre a Ilha de Páscoa, pois tenho ela em minha listinha de desejos e a série está excelente com ótimas dicas.

    Abs.,

    • Obrigado, Rafael. Se tudo correr bem, posts sobre os outros dois vulcões vêm ainda nesta semana!

  3. Gente, eu preciso ir nesse lugar.
    To apaixonando ainda mais pela Ilha de Páscoa.
    Lindos os seus posts e adorei as dicas.
    Abração

    • Obrigado Maurício. A Ilha de Páscoa é fascinante e a boa notícia é que não se gasta muitos dias para conhecê-la toda. Já estamos perto de terminar a nossa série de posts.

  4. Esse local é realmente muito lindo.

  5. José Roberto
    10/02/2013

    cara se eu fosse voce eu fechava o blog e tirava da rede.
    nada pessoal, nada relacionado a total falta de preparo para esta viagem, mas para se proteger, lembre-seque algum carabinero pode acessar e saber das peripecias: invasao de propriedade privada para fotografar moais de cimento, banho de agua de mar num monumento historico, caminhar em locais proibidos…
    quando estive em anakena aquele moai solitario a direita de quem olha para a prais estava coberto por tapumes, voces nao tiveram nada com isso, nao e?

    estou com medo do proximo post!

    ah, valeu a dica do restaurante hetu’u, tambem morremos no cqmarao de 70 reais, mas valeu

    • Ai, nem fomos tão fora da lei assim, vai…
      A gente não entrou na propriedade privada (quaaaaaase entramos, mas não entramos). Descobrimos que, de fato, não havia nenhuma proibição à caminhada em Rano Raraku quando fomos. A proibição comprovadamente aconteceu só DEPOIS da nossa ida à ilha (Sério. Eu fiquei preocupado DE VERDADE com isso). Agora, quanto a água do mar lá no umbigo do mundo… Bem, água do mar não deve fazer mal a uma pedra que fica justamente na beira do mar. Ou pode?
      Agora, quanto a ter problemas com os carabineiros… Bem, não pense que já não tivemos. Veja em: http://andarilhosdomundo.com.br/2011/10/a-malvada-aduana-chilena/
      Abraços.

  6. Raquel Gonçalves
    10/03/2013

    Olá Gleiber,

    Eu e meu marido estamos indo pra Ilha de Páscoa agora em Maio e ficamos meio preocupados com essas “proibições”, pode nos esclarecer, por gentileza?
    Estamos adorando as dicas e com certeza e um dos melhores blogs que falam sobre a Ilha! Parabéns!

  7. […] chegar lá é fácil, fácil. Como se vê no mapa abaixo, feito pela galera do Andarilhos, com uma caminhada de menos de 4 km desde Hanga Roa (o centrinho da ilha) você atinge o cume do […]