Guia para Os Vulcões da Ilha de Páscoa

Os vulcões da Ilha de Páscoa formam, sem dúvida, as paisagens mais fantásticas deste pequeno arquipélago isolado em pleno Oceano Pacífico. Não precisa ter medo, eles estão extintos há milhares de anos! Mesmo assim, basta admirar as suas crateras para imaginar a força que tiveram no passado distante.

Teravaka vista de Rano Raraku

Das rochas que emergiram das profundezas da terra, os Rapa Nui construíram seus moais, imensas estátuas de pedra que representam seus antepassados. É das suas crateras que a água doce se acumula vindo dos céus, transformando os vulcões em imensos reservatórios de vida. E do topo de seus cumes, o vento sopra inspirando os aventureiros a percorrerem quilômetros e quilômetros de trilhas desafiadoras.

Quais são os vulcões que valem a viagem?

 

Para cada um deles, escrevemos um post contando a nossa experiência.

 

1) Rano Kau – o mais exótico

Rano Kau fica bem ao sul da Ilha de Páscoa, bem perto do centrinho (Hanga Roa). Forma um dos cenários mais exóticos do mundo, com aqueles imensos paredões de pedra e um lago plácido de água doce lá embaixo. A vegetação nativa, sagrada para os Rapa Nui é usada para confeccionar roupas e cordas, tendo sido muito importante em sua cultura.

Rano Kau vegetação Ilha de Páscoa

Por quê? É pertinho e de quebra, você visita uns petroglifos.
Como chegar? Estrada de 6km a partir de Hanga Roa, ou trilha de 3km
Atrações relacionadas: Fica bem perto da aldeia cerimonial de Orongo, um sítio arqueológico que mostra como era a vida dos Rapa Nui antes da chegada do homem branco.

Clique aqui para ler nosso post completo sobre este vulcão.

 

2) Rano Raraku – o mais lindo

Este vulcão expeliu a rocha amarelada usada pelos Rapa Nui para esculpir os seus moais (estátuas de pedra). Por pouco a gente não visitou só a face externa, onde é possível ver centenas de estátuas, algumas ainda em fase de construção. Lembre-se, portante, de visitar também a parte de dentro (a cratera) que é, sem dúvida, o lugar mais lindo de toda a Ilha de Páscoa.

Rano Raraku vegetação flutuante

Por quê? É a paisagem mais linda de toda a ilha!
Como chegar? Depois de ingressar no sítio arqueológico, repare que a trilha se bifurca. O caminho da direita leva à “fábrica de moais”. O caminho da esquerda leva até a cratera.
Atrações Relacionadas: A “fábrica de moais”, na face externa do vulcão, explica como as imensas estátuas foram esculpidas, mas não explica como eles faziam para levá-las até os rochedos à beira-mar.

Clique aqui para ler nosso post completo sobre este vulcão.

 

3) Teravaka – o pico mais alto

O vulcão Teravaka tem, na verdade, várias pequenas crateras e forma o ponto mais elevado da Ilha de Páscoa, com seus 500m de altitude. A trilha que leva até lá é bem fácil e gasta-se cerca de 1:30h em cada sentido. A vista lá de cima, de 360 graus, é bonita, mas não é imperdível. O tipo de passeio para os mais aventureiros.

Teravaka borda das crateras

Por quê? Para sentir a emoção de alcançar o topo da Ilha de Páscoa
Como chegar? Trilha de 1:30h a partir do Ahu Akivi ou da estrada que leva a Anakena (veja o post específico)
Atrações relacionadas: você pode chegar até lá num passeio a cavalo, caso curta.

Clique aqui para ler nosso post completo sobre este vulcão.

 

4) Puna Pau – a fábrica de chapeuzinhos

Puna Pau é um vulcão que gerou uma rocha vermelha, usada pelos Rapa Nui para esculpir o “chapeuzinho” que se coloca em cima dos moais. O “chapéu”, na verdade, é a representação do cabelo amarrado como um coque e se chama pukao. A trilha que leva até o topo tem placas explicativas explicando desde a extração até a sua finalidade cerimonial.

Paisagem de Puna Pau

Por quê? Para você que tem interesse em arqueologia.
Como chegar? Na estrada que leva de Hanga Roa até o Ahu Akivi, o sítio é bem sinalizado.
Atrações Relacionadas: bem perto fica o sistema de cavernas Ana Te Pahu, que era habitada pelos Rapa Nui no passado.

Clique aqui para ler o nosso post que fala sobre este vulcão.

 

5) Pu’i – o mais nada a ver

Este vulcão foi a maior furada. Até deve ser legal visitar o lugar durante o Mahana Tapati (festival da cultura Rapa Nui), quando eles descem os 300m de ladeira íngreme usando troncos de bananeira como trenó. Para nós, só serviu para arriscar o tombo só para ver uma paisagem desnecessária – e morrer de cansaço.

A cratera do Vulcão Pu'i Ilha de Páscoa

Por quê? Não tem porque subir nesse vulcão! Não faça como os loucos aqui.
Como chegar? Fica bem na beira da estrada que liga Hanga Roa a Anakena
Atrações Relacionadas: Durante o Mahana Tapati, festival folclórico que acontece em fevereiro, os Rapa Nui descem o vulcão escorregando.

Clique aqui para ler nosso post completo sobre este vulcão.

 

6) Os outros vulcões da Ilha de Páscoa

A Ilha de Páscoa tem ainda várias outras crateras, grandes e pequenas, de diversos vulcões adormecidos. Da mesma forma que Pu’i não acrescenta em nada, achamos que não compensa explorar os outros picos, desde que você já tenha visitado os principais.

vulcões da ilha de páscoaFonte: wikipedia

Rano Raraku, Rano Kau e Teravaka foram experiências incríveis e mesmo se a ilha não tivesse os moais, já valeria a viagem.

andarilhos do mundo banner ilha de páscoa

Quer ler todos os nossos posts sobre a Ilha de Páscoa? Clique no banner acima!

Escrito por: Gleiber Rodrigues
Compartilhe:
comentarios:6
Posts Relacionados:
18
Feb
2013
6 comentários
  1. Simplesmente fantástico! Adoro posts assim, que mostram um pouco de tudo e tem links para ver mais informações sobre as atrações do lugar.
    Parabéns Gleiber, ficou show! ;D

  2. Daniel Amado Zago
    21/02/2013

    Bah, gostei muito do blog, vou á ilha de Páscoa em maio, valeu pelas dicas, vou “debulhar” as informações repassadas.

  3. BrasilVIP
    26/02/2013

    Bela matéria e fotos bem tiradas. Gostei do Seu blog parabéns.

  4. R. Chacon
    25/01/2014

    Parabéns pelo post! mas acho que fazer também a caminhada para o vulcão Puakatike, no monte Poike (extremo leste da ilha) vale muuuuuito… é um local extremamente ermo e visitar ruínas pouco conhecidas e conhecer a costa leste foi uma experiência maravilhosa… achar a caverna Ana o Keke com suas curiosas inscrições não é para qualquer (nosso host na pousada disse que fui o primeiro que lá se hospedou que conseguiu pois não há indicações para o local), além de encontrar os pequenos moais solitários… foi muito emocionante!!

    • Que legal! Alguém que foi lá para nos contar a experiências!!! Sabia que eu nunca tinha lido ou ouvido comentários de alguém que foi? Não quer escrever um post para a gente contando melhor essa experiência? Nem sabia que tinha moais lá também! ADOREI!