Batendo perna em Cusco – devagarinho…

Era o nosso primeiro dia no Peru e a gente se mandou direto para Cusco. Assim mesmo na lata, na bucha. Se o nosso principal interesse era explorar a região da Cordilheira dos Andes e do Vale Sagrado (sendo Machu Picchu a cereja do bolo), rumamos direto para a antiga capital do Império Inca, sem perder tempo com outras distrações.

Mas aviso aos empolgadinhos que querem chegar e ir logo aproveitando tudo:

Torre da Igreja da Companhia de Jesus em Cusco

Cusco é um balde de água fria para os aventureiros afoitos…

 

Primeiras Impressões de Cusco

O primeiro dos nossos dilemas era saber afinal de contas, se o nome dessa cidade era escrito com S ou com Z. Bem, definitivamente, eu consegui a resposta. Em espanhol o nome é grafado com S! Ponto final. Agora na língua portuguesa ou em inglês, acho que ficarei eternamente na dúvida.

Chegamos no aeroporto de Cusco vindo de Lima, depois de termos passado umas horinhas aproveitando o melhor aeroporto da América do Sul. O contraste foi incrível. Na capital do Peru, a modernidade ao lado de grandes lojas, grifes e salas de embarque impecáveis. Na capital dos incas, o assédio de taxistas, agentes de turismo e promotores de hotel que invadem até a esteira de bagagens.

Sou só eu quem acha que o consumidor é quem deve ir atrás do vendedor e não o contrário? Ao longo daquela viagem a gente ainda veria tanto disso que foi até bom esse choque cultural inicial para a gente ir logo se adaptando.

 

Soroche – o mal de altitude

Cusco fica “só” a 3400m de altitude. Tipo, não há nenhum lugar no Brasil que seja assim tão alto! Então foi só coisa de subir os degraus para alcançar a recepção do hotel para ver tudo girar! Tem gente que sente dor de cabeça, enjoo, vômitos e até falta de ar. Felizmente, eu só sentia isso: ficava totalmente bêbado quando caminhava um pouquinho mais rápido ou subia escadas.

Ruela peruanaTorça para o seu hotel não ser num lugar assim

No fundo, eu achava engraçado, mas quando subi as escadas até chegar no quarto do hotel e vi o chão completamente inclinado comecei a ficar preocupado! Quanto tempo iria demorar para aquilo passar? A receita infalível? Chazinho de folha de coca (mate de coca). No dia seguinte, acordamos sem Soroche algum e não sentimos mais nada durante toda a viagem. Será que foi efeito do chá?

 

Aclimatação em Cusco – caminhadas leves

Todo mundo dá o mesmo conselho e acho prudente cumpri-lo. No primeiro dia em Cusco, fique no hotel descansando, não abuse e faça somente caminhadas leves. Até tiramos um cochilo de uns 30 minutos, passei umas fotos para o notebook e entrei um pouco no face.

Mas a vontade de sair por aí era maior e a gente quase acabou conhecendo a cidade inteira naquela tarde mesmo. Claro que não entramos nas atrações pagas e nem caminhamos até os pontos mais distantes (como o monumento Pachacutec ou San Blas, lá no alto do morro).

Mas os arredores da Plaza de Armas, as principais igrejas, as lojinhas e o comércio ambulante já estava todo esquadrinhado quando voltamos ao hotel.

Lado esquerdo da Plaza de Armas Cusco

 

Principais atrações para conhecer Cusco a pé

Montei esse pequeno guia com os principais pontos de referência para um passeio a pé. Lembre-se de caminhar devagar, aceitar os golinhos de chá de coca que te oferecerem e subir o mínimo de escadarias possível.

Detalhe: muitos hotéis ficam no topo de ladeiras muito íngremes. Nesse primeiro dia, não exagere! Se for o caso, pegue um táxi mesmo que seja bem pertinho. Passar mal em viagem por causa de 5 soles (pouco menos de 5 reais, que é o que custa uma corrida de 5 minutinhos) é mico na certa.

 

 a) Plaza de Armas

É o coração turístico da cidade. É onde estão todos os mochileiros, aventureiros, gringos e, porque não, os brasileiros. Na verdade, é onde você também quer estar. Bem no centro, há um chafariz com uma linda estátua dourada do Inca Pachacutec, inaugurada há não muito tempo (veja a imagem do início do post).

Lado direito da Plaza de Armas

Duas grandes igrejas se destacam e é importante você descobrir logo qual é qual. Então, para não errar! Esta é a Catedral Sagrada Família:

Catedral Sagrada Família em Cusco

E esta é a Igreja da Companhia de Jesus (dos Jesuítas):

Igreja da Companhia de jesus na Plaza de Armas de Cusco

E o mais curioso: de qualquer ponto da cidade se avista lá no alto da montanha a seguinte mensagem “Viva El Peru”. E vimos isso não só em Cusco, mas em todo o vale sagrado, com símbolos e inscrições diferentes.

Inscrição Viva El Peru na Cordilheira em cusco

E a sorte que a gente deu quando chegou lá? Estava rolando uma festa folclórica porque era o dia da Virgem de la Natividad. Então tinha bandinha se apresentando na rua, desfile de roupas típicas e até música ao vivo. A gente fez o registro em vídeo desse espetáculo cultural bem divertido (dias 07 e 08 de Setembro).


Festas de Cusco from Andarilhos do Mundo on Vimeo.

 

b) Compras em Cusco

Cusco tem lojinhas para todos os gostos, vendendo todas as coisas, para todos os bolsos. Quer artesanatos peruanos? Você vai encontrar a maior variedade concentrada em um só lugar, embora os melhores preços estejam nos vilarejos das redondezas.

Quer ir direto onde fica o mercado de verdade?

Mercado de Artesanato de Cusco

Pegue a Avenida el Sol e siga umas 8 quadras para longe da Plaza de Armas. Quando você chegar nessa praça inconfundível, vai saber que está no lugar certo!

Plaza Pumaq Chupan

Não recomendo você conhecer esse lugar assim de supetão, logo no primeiro dia. Como o lugar é longe, a pernada pode provocar o malvado soroche, e você não deve subestimá-lo. Até porque há muitas outras lojinhas, galerias e ambulantes ali nos arredores da Plaza de Armas onde você pode encontrar as mesmas coisas que encontrará no Centro Artesanal Cusco.

Centro artesanal de Cusco Peru

Acontece que tem um OUTRO lugar que você, viajante desavisado, pode acabar encontrando e achando que é o famoso Mercado de Artesanato. É o Mercado San Pedro.  Repare a diferença:

Mercado de São Pedro em Cusco

O Mercado San Pedro é um galpão onde tem de tudo, só que sem lá muita higiene. Mas é uma experiência incrível ver tantos tipos de batatas, tantos tamanhos diferentes de milho e tanto gringo comendo ali dentro em meio a tantos odores, digamos, “suspeitos”. Mas o meu estômago só embrulhou mesmo quando eu vi ali tostadinho e inteiro, o famoso cuy, iguaria muito apreciada nos Andes peruanos. Nunca ouviu falar que eles comem porquinho-da-índia? Pois é!

 

c) Igrejas e mais Igrejas

O caminho entre a Plaza de Armas e a Igreja de São Pedro, onde fica o mercado mais exótico que já conheci na vida passa por várias lindas igrejas. É uma rua só que vai mudando de nome: Calle Mantas, depois Calle Marquez até finalmente se transformar em Calle Santa Clara, depois do Arco de Santa Clara.

Arco de Santa Clara em Cusco PeruArco de Santa Clara

Boa parte desse caminho é exclusivo para pedestres. Ou seja, um mar de turistas faça chuva, faça sol. Todos felizes contratando passeios, tomando sorvete, comprando seus souvenirs ou simplesmente batendo perna que nem a gente.

Calle Mantas em Cusco PeruCalle Mantas

Para saber qual é a Iglesia de la Merced é fácil, tem sempre uma estátua viva se apresentando por ali. Rendeu boas risadas. Em frente, uma bela cafeteria (La Bondiet – ma-ra-vi-lho-sa) e umas lojinhas mais classudas. #ficadica.

Igreja de la Merced

É só passar o Arco de Santa Clara, com a Igreja de São Francisco à direita, que você vai entrar na Calle Santa Clara. Táxis intempestivos e buzinas serão ouvidos inevitavelmente, apesar do ambiente “sagrado” de tanta igreja reunida. Explico. À esquerda está a Igreja de Santa Clara e no final da quadra, a Igreja de São Pedro.

Igrejas de Santa Clara e São Pedro ao fundoIgreja de Santa Clara em primeiro plano e lá no fundo, a de São Pedro

Todas soberbas, imensas, lindas e com torres muito bem acabadas. Por dentro devem ser ainda mais legais, mas vou confessar que entrei mesmo só em uma ou duas. Chama atenção serem todas construídas nessa pedra marrom, típica da região.

 

Mapa de Cusco

Marquei nesse mapa as atrações que dá para conhecer a pé, num tour de aclimatação pela cidade. Ahn. E a respeito das igrejas, vale dizer que a maioria cobra ingresso e tem horários demarcados para visitação.


Visualizar Batendo pernas em Cusco em um mapa maior

 

Mas Cusco é só isso???

Calma pessoal, esse post é só para dar uma introdução desta cidade que, apesar da primeira impressão ruim, nos cativou tanto que escolhemos ficar 3 noites nela. Mas assim é bom que a gente vai colocando vocês no clima da viagem. Quem for com muita sede ao pote vai acabar se sentindo mal e estragando um ou dois dias das férias! E garanto que os outros passeios montanha afora vão exigir bastante preparo físico!

 

Banner Horizontal Peru

Quer ler mais sobre o Peru? Clique no banner acima ou selecione um dos posts abaixo:

Peru

Andarilhos do Mundo no Peru
Série Andarilhos no Peru #AoVivo

 

Resenhas de Hotel e Restaurante

Hotel Tierra Viva Saphi
Hotel Rio Sagrado – luxo no Peru
Aguas Calientes – o portal para Machu Picchu

 

Machu Picchu

Como Chegar a Machu Picchu
Aguas Calientes – o portal para Machu Picchu
E finalmente… Visitando Machu Picchu
Subindo Huayna Picchu

 

Cusco

City Tour em Cusco parte 1 – Catedral e Qorikancha
City Tour em Cusco parte 2 – Sacsayhuaman e arredores
Entenda o Boleto Turístico de Cusco

Batendo pernas em Cusco – devagarinho… 

Escrito por: Gleiber Rodrigues
Compartilhe:
comentarios:44
Posts Relacionados:
20
Nov
2012
44 comentários
  1. Tatiane Dias
    21/11/2012

    Adorei! Louca pra toca a série de posts!

  2. Jennefer
    21/11/2012

    Hum, agora sim. Tô gostando mais do Peru do que da Ilha de Páscoa.

  3. juliana
    22/11/2012

    Sobre o “mal da altitude” só lembro que meu marido quase desmaiou na feira de artesanato e eu não senti absolutamente nada durante os dias que lá estivemos. Gleiber, vc como médico talvez possa ratificar ou retificar minha teoria… A falta de oxigênio no organismo provoca o “mal da altitude” certo? É como se a gente tivesse “pouco oxigênio” para respirar na atmosfera? Desse modo, uma pessoa asmática, com a capacidade pulmonar levemente reduzida pode então não sentir nada com essa “falta de oxigênio”?
    abs, Juliana

    • Bem, uma grande parte do mal de altitude é psicológico, sabiam? E, claro, outra parte é causado pela baixa quantidade de oxigênio. Mas ter ou não ter asma, não deveria fazer lá grande diferença (a não ser que a pessoa esteja em crise, que daí pode ter falta de ar até no nível do mar, ehehehe).

  4. juliana
    22/11/2012

    hummm, entendi. eu sou asmática, to acostumada com falta de ar mesmo… rsrsrsrs. Pensei que pudesse ter alguma relação. Fato é, é preciso ir com cuidado e esperar o corpo aclimatar mesmo senão a viagem pode ter surpresas chatas. Mudando de assunto, conheceram o Chicha? Restaurante do Gaston Acurio, chef internacional e badaladíssimo?
    abs

    • Isso acontece, Juliana! Asmático às vezes é mais tolerante e adaptado com a falta de ar que a maioria das pessoas! Isso pode acontecer! A gente não foi nesse restaurante não… Fomos só nuns simplesinhos mesmo.

  5. Jackie
    22/11/2012

    Oba, conseguir dar um pulinho aqui. A gente foi em ajneiro mas ate hj nao postei rs ainda estou em arequipa (falta paracas, naaza, lima ate chegar a cusco rs). Ent’ao, eu passei bem mal tt em cusco qt em la paz, mas marido nem a[i. rs Amei a cidade. Ficamos ali embaixo perto da pra;a de armas primeiro, num puta hotel (comprado em promo, claro) e so dps nos mudamos pra san blas. ainda bem hahahaha tinha que subir uma ladeira enoooorme.
    tb fiz um roteirinho a pé (anotei no caderninho), mas ja nem lembro de cabeça pra escrever aqui, qd eu postar eu venho cá linkar pro teu.
    bjs,

    • Opa! E me avisa quando você postar para eu te linkar também! O Sandro praticamente não sentiu nada do mal de altitude. Eu, que pratico corrida, e fiz vários treinos de 10km tentado me prevenir, ficava lá morrendo de rir, me sentindo completamente bêbado. O Sandro, praticamente um sedentário (faz academia, mas não faz nada de aeróbico) só rindo da minha cara… Eta vida ingrata!

  6. Bóia Paulistaa
    22/11/2012

    Oi, Gleiber. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Natalie

    Boia Paulista

    • Nossa!!! Eba!!! Que honra Natalie! Que bom que vocês gostaram! Eu me apaixonei por Cusco, quero ainda escrever bastante sobre essa linda cidade!

  7. Monique Ribeiro
    23/11/2012

    Adorei, bem legal esse post inicial pra dar o gostinho do Peru hein. Aguardo os próximos! Beijaaao

  8. Marcia Tanikawa
    24/11/2012

    Oi Gleiber!
    Passando por aqui para ver se todos os brazucas (como éramos chamados por lá pelos guias) passaram mal como a gente.
    Todos os brasileiros que encontrei reclamaram da falta de ar, dor de cabeça, tontura, em maior ou menor grau.
    Mas achamos bem diferente e um banho cultural imenso!
    Só não faríamos a Trilha de Salkantay tão cedo… ainda dá uma biata falta de ar, só de pensar nisso (no topo alcançamos 4.700 m).
    Esperando os próximos posts…rsr..
    Abraços!
    Marcia

    • Então… A gente não fez nenhuma das trilhas (só Huaynapicchu), mas vimos vários brazucas passando muuuuito mal. Parece que tem um pouco a ver com o preparo físico prévio da pessoa, mas não só. Talvez tenha algo de genético, talvez um pouco de psicológico (uma das guias insistia muito nisso e dava um negócio a base de eucalipto para o pessoal cheirar – dizia que fazia as pessoas organizarem melhor a respiração). Mas no fim das contas, em alguns dias todos estão adaptados! ;)

  9. Jane Resende
    26/11/2012

    Olá Gleiber !
    Procurando dicas para Cusco e Machu Picchu, encontrei seu site… Quero conhecer a cidade dos Incas mas… estou ficando amedrontada ! Também sou médica e tenho asma leve (sazonal)! Quanto a data no início do post: é a data de sua viagem à Cusco, ou a data da postagem? É que, pelos sites de turismo que andei pesquisando, falam que de novembro até março as chuvas são torrenciais com perigo de enchentes e quedas de barragens. Ano passado fui a Santiago e visitei a Cordilheira dos Andes. E senti apenas leve dor de cabeça.
    Mas fui apenas até o Vale Nevado, a menos de 3000 metros… Será que dá para enfrentar Cusco e Machu Picchu ?
    Pt.: O Sandro tem os pés bonitos ! rs…rs…rs…
    Abs
    Jane

    • A data que aparece no blog é a data da postagem. A gente viajou pelo país no mês de Setembro que é uma ótima época. A região de Machu Picchu é selva amazônica, sujeito a chuvas fortes realmente (na época das chuvas) e fica numa altitude bem mais baixa do que Cusco. Mas essa coisa de se sentir mal (o Soroche) é muito variável de pessoa a pessoa. O Sandro não sentiu NADA. Eu me sentia como se estivesse um pouco bêbado (tonto, zonzo, banzo) mas só quando eu fazia um esforço (tipo subir escadas), mas durava no máximo 1-2 minutos. E do segundo dia em diante a gente não sentiu absolutamente NADA! Então mesmo que você sinta o desconforto máximo (algumas pessoas chegam a vomitar, por exemplo), o bom é que não vai durar muito. Reserve 2 dias para aclimatação em Cusco e arredores antes de ir para Machu Picchu e tudo dará certo.

  10. daniel leão
    31/03/2013

    ola Gleiber, nunca vi um site tão bem informado como o seu. Parabens !!! tõ indo agora em maio e, depois de ler suas dicas, tô bastante situado. gostaria de saber uma coisinha: vc foi de trem de cusco pra águas calientes sem fazer o passeio do vale sagrado ? ou epgou o trem em olanta ? passou alguma noite em águas calientes ? tem dica de hotel lá ? grande abraço daniel

    • Calma Daniel! Sei que estou atrasado na publicação dos posts, mas ainda vou contar toda essa saga tim tim por tim tim aqui no blog! Mas para saciar a sua curiosidade, vamos lá. Nós pegamos o trem em Ollantaytambo para Aguas Calientes, mas porque a gente ficou hospedado por duas noites em Urubamba e era pertinho (táxi de Cusco para o hotel em Urubamba e táxi de Urubamba a Ollanta). E depois de voltar de Machu Picchu a gente ficou em Cusco mais duas noite e no dia do meio fizemos o tour completo do Vale Sagrado saindo de Cusco e voltando para Cusco mesmo. A gente fez essa viagem no estilo slow-travel, beeeeeeem de férias mesmo. Mas dá para fazer como muitos: pegar o tour do Vale Sagrado, abandonar o grupo em Ollanta e dali já pegar o trem do fim da tarde para Aguas Calientes. Economiza bastante tempo! Abração.

  11. daniel leão
    11/04/2013

    legal, Gleiber. tbem estamos fazendo o estilo slow-travel, tranquilinho. já compramos os bilhetes de trem de poroy a aguas calientes num dia e no dia seguinte subiremos à machupichu. vc foi as piscinas termais de águas calientes ? é mico ? abs Daniel

    • Sim, Daniel, fomos às piscinas termais! E, sim, achei mico… kkkkkk Mas depois do tanto que caminhamos e da trilha de Huayna Picchu, os pés da gente agradeceram o mico! kkkkk

  12. Nary
    20/04/2013

    Oi Gleiber, adorei seu blog. Meu marido e eu compramos um pacote pro Peru (Lima e Cusco) e chegaremos em Cusco ao meio-dia de 24/05 e partiremos dia 27 pela manhã com destino a Lima. Marcamos o trem para Machu Picchu dia 26, o que levará o dia inteiro já que voltaremos pra dormir em Cusco. Na sua opinião, qual o melhor roteiro poderíamos fazer para aproveitar esta tarde e o dia seguinte? Dá pra visitar até quantos pontos do boleto turístico por dia? Poderia dar alguma dica para aproveitarmos o máximo possível desse passeio?
    Obrigada!

    • Eu sugiro não fazerem muita coisa no dia da chegada. Fiquem um pouco no hotel, durmam se puderem e se adaptem com a altitude. Se conseguirem, comprem o boleto turístico no ponto de venda e aproveitem para visitar os museus de arte da cidade de Cusco, cujo ingresso está incluído no próprio boleto. Em breve escreveremos um post sobre o assunto. No dia seguinte, façam ou o city tour (dura uma tarde) ou o tour do Vale Sagrado (que dura o dia inteiro). Em ambos, vocês terão que caminhar um pouco e subir alguns degraus, mas no tour do Vale Sagrado dá para descansar bastante no ônibus entre uma atração e outra, apesar de aparentar ser mais cansativo. Sobre o City Tour a gente já escreveu aqui no blog: http://andarilhosdomundo.com.br/destinos/america/peru/ Já sobre o Vale Sagrado, ainda estamos devendo.

  13. Christiane
    20/05/2013

    Oi, gleiber! Muito bom o seu blog, parabens! Queria uma sugestão, eu e mais 2 amigas vamos pro Peru em uma viagem de quarta a domingo, super corrido. Chegamos as 15hrs na quarta e vamos pra Machu Picchu no dia seguinte e teremos o sábado livre pra conhecer cuzco, qual city tour vc recomenda? Conseguimos fazer o da tarde quando chegamos e outro do dia inteiro no sábado? Ou acha melhor na quarta so ficarmos caminhando e no outro dia fazer o city tour? Nao teremos muito tempo e quero fazer a melhor escolha. Obrigada!

    • Quando chegarem não façam nenhum tour, com certeza vai ser corrido. E no sábado, você pode ter tempo para passear mais em Cusco (é uma cidade muito alto astral, bonitinha e legal de passear) e fazer o city tour (dura uma tarde) ou fazer um tour de dia inteiro chamado tour Vale Sagrado. Entre os dois, o que eu mais gostei foi do vale sagrado. Abração.

  14. PH
    01/08/2013

    Não sei se já perguntaram algo parecido por aqui, mas estou indo pra lá pra ficar poucos dias e queria saber que programação vale mais apena (em relação a atrações, lojas abertas, etc): Passear pelo parque de Machu Picchu ou passear por Cusco no domingo? Acredito que por ser uma cidade bem turística, não deve fazer muita diferença, mas não custa nada perguntar né?! rs Obrigado!

    • Bem. Com certeza, tanto faz! Em Cuzco fica tudo aberto e em Machu Picchu também. Nestas duas cidades, essa coisa de domingo praticamente inexiste! E fique à vontade para tirar todas as suas dúvidas. O que a gente não souber a gente procura saber!

  15. Junia
    29/09/2013

    Vou pegar o trem em Ollanta para Machu Picchu e na volta descer em Poroy,(no mesmo dia) para evitar de viajar á noite para Cusco, como devo proceder com as malas ? Estarei hospedada em Urubamba, antes de ir a Machu Picchu.

  16. Michele
    05/10/2013

    Gleiber,

    Boa noite.

    Estou preparando um viagem para o Peru em novembro e estou adorando suas dicas, mas uma coisa que eu não achei ou ainda não cheguei la é sobre seguro de viagem.

    Vocês fizeram?

    Obrigada.

  17. Michelle Leonides
    30/10/2013

    Gleiber,i
    Vou trabalhar em lima, e não posso perder cusco e MP., será tudo muito rápido … Rsrs. chego a cusco dia 13 de nov de manha (oq faço neste dia? Rsrs), dia 14 tenho o dia todo (quero ir a machu pichu neste dia), e dia 15, tenho até a metade do dia,pois meu voo de volta é de 15 p 16.nov.. Pleaseeee !!!!! Me diga oq fazer para eu não perder tempo, sei da aclimatação,porém preciso passear no primeiro dia … Rsrsrs.
    Muito obrigada !!!

    • Dá tempo de fazer o City Tour, que dura só meio dia. Mas acredite. Essa coisa da aclimatação é muito séria! Abraços.

  18. Guilherme
    01/12/2013

    show!!!
    fui em 2010 de kombi e em 2014 volto de avião…

  19. Lucas Almeida
    16/12/2013

    Alguma dica para quem pretende viajar sozinho para Cusco?

    • Oi Lucas. Cusco é a terra da balada. Os albergues, por exemplo, costumam ter festa todos os dias! Entre nas excursões, hospede-se nos hostels, saia a noite. Pronto. Você vai fazer muitos amigos e vai curtir muito. A cidade é muito segura e tem gente do mundo inteiro bem afim de uma integração, se é que você me entende.

  20. Dennys Frota
    24/02/2014

    Estou indo com duas crianças 5 e 10, vc vê algum problema?

    • Seu filho(a) de 10 anos vai tranquilo(a), já o(a) de 5… Em Machu Picchu tem muitas escadas e abismos. Tem que ser muito obediente e não largar das mãos de vocês. Já em Cusco é bem tranquilo. Afinal, é só uma cidade. Mas em todos os passeios a ruínas, você deve redobrar a sua atenção.

  21. Mônica
    27/02/2014

    Oi !

    Queria tirar uma duvida, vou pro Peru no mês de Setembro.
    Sobre as passagens de trem para Aguas Calientes e o ônibus para Machu Pícchu, é só em dólar que posso pagar?
    Não consigo comprar lá?
    Referente aos hotéis, vocês já tinham reservado ou acharam por lá mesmo ?
    Os hotéis são pagos em soles ou dólares ?

    Desde já agradeço !

  22. Gabriela
    13/03/2014

    Olá pessoal!
    Vou para Machu picchu em maio. Ficarei 8 dias entre Cusco e Aguas Calientes.
    Queria reservar um dia para ir até Puno, dei uma pesquisada e vi que algumas empresas de ônibus fazem esse trajeto (com paradas e um roteiro bem bacana), e até de trem (mega luxuoso).
    Alguém já fez essa rota para me dar dicas?
    É possível fazer a volta (puno – cusco) durante a noite – Para não perder mais um dia da trip?
    :)

  23. NEUZA GUZZO
    05/05/2014

    Gleiber, Já falei anteriormente que amei o seu blog. Estou planejando uma viagem a machu picchu ,meu marido sonha conhecer, porem fico com medo pois ele tem 66 anos e eu 53(tenho pressão alta mas controlo com medicamento). Voce que é medico, me diz, Tem algum risco.(fazemos uma caminhada de 05km cinco dias na semana) Devo desistir da ideia, ou vale ariscar? Esta já é a segunda vez que planejo a viagem, da primeira fiquei com medo e desistir.
    Desde já agradeço.

    • Olha… Se a pressão estiver sobre controle, acredito que não haverá problema. Sugiro que vocês tirem dois dias em Cusco para fazer a aclimatação. E só façam o passeio do Vale sagrado DEPOIS de ir a Machu Picchu, que fica numa altitude mais baixa do que Cusco. Acho que vocês poderiam se preparar aumentando um pouco o tempo de caminhada na véspera (um mês antes), só para garantir.
      Abraços e boa viagem! Não desistam desse sonho, vocês vão amar!

  24. NEUZA GUZZO
    15/05/2014

    Gliber, obrigado pela resposta,

  25. Saturnino
    24/05/2014

    Temperaturas…

    Já que a altitude é de 3400, o inverno deve ser frio, tipo, parecido como o do Rio Grande do Sul… Sabe algo a respeito do inverno em Cusco?

    Obrigado.

    • O inverno lá não é muito diferente do verão, na verdade. Pense que é sempre friozinho de manhã e de madrugada. No ano inteiro, tipo inverno do Rio Grande do Sul. Abração.