Roma: rumo à cidade Eterna by Molina

Os Andarilhos do Mundo tem a honra de apresentar a contribuição de mais um Andarilho convidado, postando pela primeira vez aqui no blog. Sem mais delongas, e já parabenizando pelo post, vou deixar vocês curtirem o texto do “caixeiro viajante” Rodrigo Juliano Molina:

Roma, ou a cidade eterna, nunca foi um lugar que esteve nos meus planos. Mas não posso negar que me surpreendi a cada instante naquela cidade que é chamada de Cidade Eterna e grande merecedora deste título.

 

A Chegada

Uma possibilidade de chegar direto a Roma sem escalas é utilizar os serviços da Alitalia. Após um check-in eficiente e um discreto atraso fizemos nosso embarque. Um Boeing relativamente novo nos levaria a cruzar o Atlântico e atingir o meio da bota, que é península itálica.

Ali no avião já pude ter uma prévia do que nos aguardaria na Itália. Comissários falando alto, estressados se a escolha seria peixe ou carne e uma dica. Nunca fique no corredor se um deles for passar com o carrinho!!! Você pode ser uma vítima fatal!!! Rsrs

 

Aeroporto Leonardo da Vinci

Chegando no aeroporto de Fiumicino, tudo muito organizado, apesar da demora na recuperação da bagagem que despenca de um fosso para a esteira. O aeroporto fica distante de Roma e uma corrida de táxi pode custar até 50 euros dependendo de sua localização na capital.

 

A Cidade

O caminho até Roma é muito bonito e já vale como um city tour. Os taxistas são simpáticos e falantes. Acho que você percebe que está em Roma quando de repente a sua frente surge aquele gigantesco e monumental Coliseo. Sinceramente emocionante, principalmente ao imaginar que ele tem mais de 2000 anos.

Fiquei bem hospedado, em um belo hotel na Via Veneto, porém uma região cara. Roma consta com uma rede de metrô relativamente eficiente, porém algumas regiões, como o Vaticano não é coberta por nenhuma linha. Há apenas duas linhas (azul e vermelha) que se cortam na Estação Termine que cruzam a cidade.

Via Veneto

Roma pode ser feita praticamente a pé e a algumas regiões você chega facilmente e de forma barata por táxi. Uma cidade com praças (piazzas) e fontes divinas (no sentido literal da palavra!).

As principais Piazzas você segue a pé mesmo, aproveitando e admirando os belos edifícios, que para minha surpresa não são antigos, já que a cidade foi destruída na segunda guerra mundias, sendo reconstruída após.

Mais Via Veneto

Chamou a atenção como a cidade é monocromática, toda em tons pasteis. Cor não é algo que você vai ver em Roma, mas até nisso ela tem seu charme. Andar por Roma é folhear um livro de história.

Tons pasteis…

O belo e grandioso ao lado de ruínas como o Vitoriano, também conhecido por bolo de noiva, ao lado do Forum Romano em uma das sete colinas da cidade.

Piazza Venezia em Roma
Piazza Venezia: Bolo de Noiva

No alto do Campidoglio já encontramos o símbolo de Roma… A Loba que amamenta Rômulo e Remo, segundo a lenda. Lá do alto se observa todo o Forum Romano e a Via Sacra.

Forum e Via Sacra

Um jeito de conhecer os lugares é um tour nos ônibus turísticos. Compramos um ticket para 3 dias e foi ótimo, pois era um meio de transporte entre vários pontos da cidade, principalmente onde o metrô não nos levava.

Campidoglio em RomaCampidoglio

 

O Colosseo

Acorde cedo e vá logo ao Coliseu. Um amontoado de pessoas formando filas intermináveis para entrar. Tire fotos de longe dos romanos que ficam vestidos de gladiadores para fotos com turistas. Preferimos formar um grupo e fazer uma visita guiada ao Coliseu.

Assim ficamos pouco tempo na fila. O que chama atenção deste monumento é pensar que ele era todo branco e revestido de mármore que foi retirado para a construção do Vaticano. Mas mesmo sem o mármore ele mantem sua grandiosidade. Andar no interior do Coliseu é mais uma viagem ao passado.

 

Piazzas e mais piazzas de Roma

Uma série de praças, algumas que mais se parecem largos estão espalhadas por toda Roma. As imperdíveis:

Piazza di Spagna e sua bela escadaria que mais parece uma Escadaria de Babel, onde ouvimos até idiomas que não sabemos interpretar.

Piazza di Spagna
Piazza di Spagna

Piazza Navona (a minha preferiada) onde está a belíssima Fontana de Quattro Fiumi (quatro idosos que representam os Rios Ganges, Nilo, Danúbio e Prata), bem em frente ao belo Sant’Agnese in Agone. Cercada de cafés e lotada de artistas expondo suas telas, este lugar é ótimo para um fim de tarde. Detalhe, nesta praça também esta localizada a Embaixada Brasileira.

Piazza NavonaPiazza Navona

Piazza Navona - Roma
Mais Piazza Navona

Entre a piazza di Spagna e a Navona está a mais esperada fonte. Sim, a Fontana di Trevi. Belíssima e imponente, porém acho que mereceria um local melhor, pois a impressão que dá é que ela está apertada naquele lugar. Sempre cheia de gente, tente encontrar um lugar para jogar sua moedinha, fazer um pedido e tentar tirar uma bela foto . Ah… também vale a pena parar para um Gelatto. O melhor sorvete italiano do mundo é na Itália!!!!

Fontana di Trevi
Multidão na Fontana di Trevi

Também no meio do caminho o turista vai passar pela Piazza della Rotonda, onde está o lindo Pantheon – O templo de todos os Deuses. Um lindo edifício redondo com uma abóbada onde está a única abertura, pois este templo não tem janela.

Pantheon
Pantheon

 

Vaticano

A visita ao Vaticano é obrigatória, sendo você católico, cristão ou não. Já vale por ver a Pietá no interior da Basílica de São Pedro – a maior basílica do mundo, fora as inúmeras obras de arte no seu interior. É bom chegar cedo para poder aproveitar e conhecer o museu do Vaticano.

Tem que dar uma volta por fora dos muros do Vaticano (engraçado pensar que a gente estava circulando um país). A entrada somente é permitida até às 16h. Aproveite cada minuto, mas o melhor sem dúvida é a Capela Cistina, com seu teto que é uma obra de arte.

Piazza San Pietro - Roma
Piazza San Pietro

Na volta do Vaticano vá até o Castelo Sant’Angelo e passe pela ponte que cruza o Rio Tívere. Um passeio à pé pelas margens do rio (região do Borgo) é muito agradável. Ali você estará no bairro judeu.

Rio Tivere e Castelo Sant'Angelo
Rio Tivere e Castelo Sant’Angelo à esquerda

 

Dicas de Roma

Se tiver tempo de sobra vale a pena um passeio no bairro de Trastevere, muito agradável, parecendo uma cidadezinha italiana do interior e uma tarde ou manhã no belo parque Borghese.

Casinha em Tratesvere
Casinha em Tratesvere

Muitas vezes você vai se sentir no Brasil, pois Roma às vezes é muito bagunçada e alguns italianos não são muito polidos. Para compras, uma volta na Via del Corso é obrigatória.

Parque Borguese
Parque Borguese

Comer em Roma não é caro. Os pratos são fartos, mas não tente nunca tentar mudar os ingredientes. Interessante foi o cartaz que vimos em um restaurante – “We are against the War and the Touristic Menu.”

Depois de conhecer Roma, fiquei com um gostinho de quero mais e poder desbravar outras regiões tão belas deste animado país.

Escrito por: Rodrigo Molina
Compartilhe:
comentarios:26
Posts Relacionados:
05
Sep
2011
26 comentários
  1. William Simeone
    09/10/2011

    Que legal. Gostei do seu blog. Agora pergunto para você: no aeroporto de Roma é fácil achar as esteiras de bagagem ? é bem sinalizado para tal ? Não gosto de me perder em aeroporto.

  2. Claro, William. O Aeroporto é bem moderno e sinalizado. Vai tranquilo!

  3. Só de ler já me dá vontade de voltar pra lá correndo, e olha que já fui várias vezes. Adoro tropeçar nas pedras da história e Roma é pura pedra, 🙂

    • Rodrigo Molina
      21/07/2012

      Roma é agradavel… Para nós brasileiros nos sentimos em casa com aquela movimentação, pessoas falando, boa comida… barata!
      E em Roma a cada esquina respiramos história!!!
      Fantástico!!!

  4. Anonymous
    14/06/2012

    ótimo resumo e belas fotos neste blog. Considero Roma o melhor lugar do mundo, apesar do norte da itália ser belissimo. Os italianos não são polidos, mas também não são mal educados, apenas objetivos em suas respostas. Do aeroporto, o melhor é pagar 16 euros e pegar o trem lenardo express até a estação termini.

  5. Paula Brum
    17/07/2012

    Cada post é uma surpresa… Belissimas fotografias, sem dúvida! Como é um dos meus proximos destinos, as informações também são barbaras. O texto do Rodrigo é leve e, efetivamente, uma viajem…

    • Que bom que gostou, Paula! Nossa ideia é essa: inspirar e informar. Quando voltar de sua viagem, pode deixar dicas por aqui também para ajudar outros viajantes. Seja sempre bem vinda

    • Rodrigo Molina
      21/07/2012

      Oi Paula…
      Fico muito feliz com seu comentário… Me da vontade de escrever mais, compartilhar e dividir com vcs essas experiencias…
      Saber que alguem vai viajar e quando chegar lá dizer… nossa o Rodrigo mostrou isso lá no post… ou melhor, graças a dicas do Gleiber ou Rodrigo a viagem ficou mais fácil é gratificante.
      Muito obrigado e ótimas viagens!!!

      • Paula Brum
        30/07/2012

        Gleiber e Rodrigo, certamente os levarei na mala… Já li bastante sobre Roma e arredores, mas esse post é leve, gostoso, além de trazer ótimas dicas. Em breve estarei na janela do hotel na Piazza di Spagna e lembrarei, sem dúvidas, de vcs! Abraços…

        • Que legal, Paula! Tenho adorado seus comentários por aqui, você sempre deixa a gente feliz em estarmos fazendo o nosso trabalho! Quando vc estiver lá, lembre da gente, tire umas fotos e está convidada para contar sua viagem aqui como post!

  6. Rapazes, não que o post inspirador foi comigo a Roma? E como disse, quando abri a janela do Hotel, na Piazza di Spagna e fiquei frente-a-frente com a escadaria lembrei instantaneamente da expressão “Escadaria de Babel”. Obrigada pelas dicas e por me acompanharem por Roma. Abraços,

    Paula

    • Rodrigo Molina
      20/08/2013

      Nossa Paula….
      Muito bom saber que o post te ajudou!!!
      Roma é sempre fascinante!!!!
      Espero vc mais vezes aqui no Andarilhos!!!
      Grande abraço

      Rodrigo Molina

  7. Tania cruz
    20/08/2013

    Oi!
    Olha eu aqui outra vez! Tô gostando tanto de passear neste blog que não resistí em escrever de novo!
    Ainda hoje eu escreví para vocês,procurando algumas informações a mais sobre conhecer os fjords da Noruega, pois esta é minha(e do meu filho) intenção de ir em 2014.
    Logo depois que enviei o email, fiquei conversando com meu filho sobre as férias e ele deu uma segunda opção, que seria Itália; aí, claro, corrí aqui no blog pra ver suas dicas e gostei muito!
    Então… Aí vai a enxurrada de perguntas! rsrsrs
    – Me disseram que a melhor época seria de abril a junho,pois ainda não estaria queeente e seco demais…Vocês concordam?
    – Quantos dias vocês consideram ser o ideal para conhecer, na boa, a cidade de Roma?
    – Quanto a hospedagem,alimentação,passeios…Suponhamos que eu fique de 10 a 15 dias…Quanto levar em dinheiro?(só usarei cartão de crédito excepcionalmente!)
    Mais uma vez, desculpem tanta pergunta, falou?
    Um abração e obrigado, desde já, pelas dicas que possam me dar!
    Tania Cruz

    • Rodrigo Molina
      20/08/2013

      Oi Tania…
      Fico muito feliz em saber que o post foi inspirador pra vcs…
      Roma é fascinante, tenho certeza que vcs vão amar!!!
      Em relação às suas perguntas é o seguinte….

      De abril a junho, na Europa é verão né, e a Itália é muito, mas muito, mas muito quente mesmo!!! Separe as blusinhas e bermudas e muito protetor solar!!!
      A cidade vai estar lotada!!!! Então é bom guardar uns cinco dias, pois pode enfrentar filas nos principais monumentos…. assim vai precisar de mais dias na cidade pra poder fazer tudo bem tranquilo!
      Roma é uma cidade de certa forma barata. As porções nas refeições são fartas!!! E os passeios não são caros também, além de que algumas coisas são gratis!!!
      Em 15 dias dá pra ir a outras cidades e eu faria de tudo pra ir a Veneza (a mais cara de todas) e Firenze (Florença)!!!
      Sou muito sem noção com essa coisa de dinheiro!!!Então não seria a melhor pessoa pra dar esta dica!!!

      No mais fique a vontade pra nos visitar sempre aqui… acompanhe nossas andanças pelo mundo…Logo, logo deixo dicas de Barcelona e Capadocia e aguarde as aventuras do Gleiber e do Sandro na Islândia e Irlanda!!!

      Grande abraço!!!

      Rodrigo Molina

  8. Tania cruz
    23/08/2013

    Valeu, Molina!!
    Adorei suas dicas!
    Realmente, temos intenção de conhecer Veneza (pelo menos!)e,se conseguirmos, acho melhor ir de trem, não é mesmo?
    Como sou carioca,estou acostumada com o calor de 40 graus, com sensação térmica maior que isto, mas lá, por ser outro continente não sei se seria a mesma “sensação”, dá pra entender? rsrs
    E outra coisa que lí, é que lá é muuuuito seco esta época, seria isto mesmo?
    Quais seriam os meses que você considera ter temperaturas mais agradáveis mas sem muito frio e/ou chuvoso?
    Mais uma vez te agradeço as dicas!
    Um abração,
    Tania

    PS- Não querendo abusar: você poderia dar uma olhadinha na ajuda que pedí quanto a viagem para a Noruega, para conhecer os fjords? Valeu!

    • Rodrigo Molina
      25/08/2013

      Então Tania….

      Os melhores com meses com certeza são os da primavera e outono, com temperatura amena, sem aquele calorão ou frio que precisa carregar muita roupa…

      Em relação à Noruega, eu ainda não fui na Escandinávia, então, vou ficar te devendo esta dica!!!
      Acho que o Gleiber e o Sandro foram… vamos consultá-los!!!

      Grande abraço
      Rodrigo

  9. Tania cruz
    29/08/2013

    Valeu, Rodrigo!

    Vou continuar analisando as 2 opções de viagem, tanto Noruega quanto Itália e ficar esperando que eles possam responder ao meu post quanto a Noruega.

    Ví que os meninos estão viajando para Irlanda e Islândia e já estou de olho, pois sei que serão ótimas “reportagens”. Gosto muito da forma que todos vocês “conversam” com a gente, como se estivéssemos num barzinho qualquer, batendo papo, pessoalmente!

    Um grande abraço para todos!

    Tania Cruz

  10. Thiagonunes
    02/03/2014

    parabéns!

    para ir nessas praças vc foi de que? de trem?
    qual o melhor bairro para ficar em termos de localização (próximo do coliseu, estádio de futebol do roma e praças históricas)?

    • Rodrigo Molina
      03/03/2014

      Oi Thiago!pp
      Então, estas praças ficam próximas! Vc faz todas a pé!
      Estive em Roma há menos de um mês novamente junto com amigos que não conheciam! Consegui levá-los a todas estes principais pontos em 6 horas. Só não foi possível visitar o Coliseu por causa da hora! Eu fiquei na Via Veneto! Tem metrô próximo ficando fácil ir ao centro e circular a pé por tudo!
      Grande abraço!

  11. Roberto
    07/12/2015

    Estive em Roma no mês de julho deste ano e é interessante o que você disse sobre a Fontana di Trevi, pois também achei o local muito apertado. As ruas ao redor são estreitas e as outras construções são muito próximas. Não pensei que fosse assim, pelas fotos que vi. Além disto, ainda estava em obras. Mas é bonita e imperdível. Quanto à comida, em Roma, não achei barata ou saborosa. Geralmente tem um primeiro prato e a carne vem depois. Fiquei hospedado perto do Vaticano, cuja localização não é boa, pois é longe das demais atrações. Mesmo assim, fiz quase tudo andando, inclusive o Coliseo. Elaborei 3 roteiros que fiz em 3 dias, na cidade de Roma e deu bem certo. Uma dica: Se a hospedagem é só em Roma, é bom aproveitar para conhecer cidades próximas, como Florença, Nápolis e suas atrações. Dá para ir e voltar no mesmo dia, nestas cidades.

    • Rodrigo Molina
      07/12/2015

      Oi Roberto….
      É essa mesma a sensação em relação à Fontana… Mas com certeza é linda!
      Eu até não pude reclamar do preço da alimentação. Talvez foi pela época em que a crise não era tanta!
      Compartilhe com a gente estes roteiros.
      Grande abraço e obrigado por visitar o blog!
      Rodrigo

  12. Roberto
    09/12/2015

    Rodrigo, obrigado pela atenção ao meu comentário do dia 07/12. Quanto aos roteiros em Roma, foram feitos em função da localização ruim em que fiquei, ao lado do Vaticano. Peguei um mapa no hotel, para identificar as atrações turísticas e fiz 3 roteiros. Em um dia, a ida do hotel até o Coliseo; em outro dia, do Vaticano, Museu do Vaticano e Capela Cistina até a Fontana di Trevi e no último dia, do hotel até a Piazza di Spagna, sempre visitando todas as atrações pelo caminho e no entorno. Realmente é possível fazer muita coisa andando, como você disse. Fiz tudo por minha conta. Em alguns poucos momentos, peguei táxi, cujos motoristas foram muito corretos. As pessoas na rua também foram bem gentis quando precisei de alguma ajuda. Só fiz excursão nas idas à Florença e Nápolis/Pompéia, pois foram idas e voltas no mesmo dia, para cada cidade e a excursão otimiza o pouco tempo, com guias explicando e levando nos principais pontos, além do que, com a excursão, não precisamos pegar as longas filas nos pontos turísticos. Eu já havia feito um comentário sobre Paris, que foi respondido pelo Gleiber e eu concordo muito com o que vocês dizem, pois minhas experiências foram bem semelhantes.

  13. Adrison Souza
    10/01/2017

    Olá tudo bem?

    Primeiramente parabéns pelo site com muitas informações importantes e que além de nos dar uma boa noção da realidade nos inspira ainda mais a viajar.
    Estou me programando para passar 13 dias na Itália entre as cidades do meu roteiro estão: Roma, Florença, Parma e Veneza.
    Portanto tem um ponto que me preocupa pelo fato de eu ter um filho de 08 anos que sempre nos acompanha em viagens esta será a primeira vez que devido a escola só tenho opções de viajar nas férias. Vocês acham que é complicado viajar para a Itália em Julho com criança? Considerando calor e excesso de pessoas?
    Portanto ele é super tranquilo mas esta será a primeira vez que vamos viajar para a Europa em época de férias e claro queremos aproveitar o máximo possível!

    Grande abraço

    • Eu não tenho experiência de viajar com crianças, mas com 8 anos acho que ele vai adorar.
      Tranquilo.
      Abraços.

  14. Adrison Souza
    12/01/2017

    Oi Gleiber

    Mais uma pergunta.

    Eu vi nesta mesma pagina que você menciona que comprou um ticket para 03 dias para andar de ônibus turístico pois fiquei na dúvida se este mesmo ticket dá direito a andar de ônibus, metro e trem dentro na cidade? Ou tem que ser outro ticket?

    Abraço!