Feliz como pataxó na neve

Não sei vocês, mas sempre que eu em penso viajar para o exterior, pergunto-me se vou conseguir encaixar um pouco de neve no meu roteiro. Tá bom, eu sei que sou um anormal, um louco, um esquisito de trocar o nosso maravilhoso sol tropical por um freezer ao ar livre. Mas e aí? Dizem que louco a gente não contraria, não é mesmo?


Andarilhos do Mundo: versão neve Andina!

Como dizem umas amigas minhas, talvez por não termos neve verdadeira nunca em nossa pátria pataxó, criamos uma espécie de fantasia com a possibilidade de conhecer, experimentar e vivenciar esse evento tão “exótico” da natureza.


Só não fizemos bonecos de neve porque tava todo mundo olhando…

Como bom mineiro que sou, e que viveu quase 18 anos sem chances de ver o mar (exceto por uma única vez aos 10 anos), comparo esse fascínio pela neve com o fascínio que eu tinha por praias, antes de ter a liberdade de poder ir à praia quando quisesse.


Olha a alegria do rapaz!

Hoje, que tenho praia a pouco mais de 100km da porta de casa (um mar meio estranho, 90% do tempo gelado e cor de chocolate, mas ainda assim mar), não sinto mais aquela fissura por passar dias furando ondas e tentando pegar jacarezinho.


Será que um dia esse fascínio vai passar?

Mas em seu lugar veio essa alegria imensa em brincar, que nem criança, de atolar o tênis na neve fofa, de arriscar uns escorregões no gelo, de fazer bolinhas de neve com as mãos (e jogar nos outros) e tirar zilhões de fotos com paisagens branquinhas.


Segurando na cordinha para não cair!

Cara, eu simplesmente regrido minha idade mental em uns 25 anos! E não sinto a menor vergonha disso, porque vejo os outros ao meu lado com o mesmo brilho nos olhos! Afinal, para que serve viajar senão para sentir nas veias o entusiasmo da nossa infância outra vez?


Quem nem criança…

Então, depois da nossa primeira vez na Europa, em que sentimos os primeiros floquinhos brancos molhando os nossos casacos, essa lembrança nunca mais me deixou.


Tanto na primeira quanto a segunda vez na Alemanha fomos presenteados com os floquinhos brancos

Nas outras viagens tentamos experimentar essa mesma experiência de outros modos, seja com uma aula de Ski na Suíça, seja com a viagem de agosto de 2011, levando os Andarilhos convidados da melhor idade (os pais do Sandro, eheheh) para brincarem na neve fofa junto conosco aqui pertinho, na cordilheira dos Andes.

Aula de ski em Axalp, Suíça
Aula de ski em Axalp, Suíça

Àqueles que tem medo de desbravar a montanha, ouçam (ou leiam?) essa: o seu Adão, no auge dos seus 67 anos, depois de descer do teleférico, deu uma olhada para o horizonte e lá do topo largou: “nunca imaginei que isso aqui pudesse ser tão bonito”.


Paisagem fascinante

Algumas coisas nessa vida “não tem preço”


Tentativa de homicídio

Até mais andarilhos!


Ó os pezinhos aí: mãe e filho no teleférico!

 

Mais sobre o Chile?

Santiago

Santiago em um Dia

Estações de Esqui

Manual para Estações de Esqui
Feliz como Pataxó na Neve

Dicas Gerais

A Malvada Aduana Chilena

Escrito por: Gleiber Rodrigues
Compartilhe:
comentarios:7
Posts Relacionados:
29
Aug
2011
7 comentários
  1. Beta Rodrigues
    29/08/2011

    Adorei o post e as fotos! Lembrei de um Natal que passei nas montanhas na Itália, com direito a telhados brancos e árvores de gelo! Como nos cartõescde natal! Nossa! Foi lindo! É bem assim mesmo… São paixões pela natureza bela! As Árvores … O Mar… A neve…

  2. Gleiber
    29/08/2011

    A força da natureza é algo perante a qual o homem sempre ser curva. Se não for para isso que a gente viaja…

  3. Ilza
    30/08/2011

    Lindo post. Conseguiste captar bem a razão da nossa atração por neve e descreve-la de maneira emocionante, leve e bem humorada. Parabéns!

  4. Liliane Cristina Rodrigues Augusto
    27/10/2011

    Olá andarilhos! Bom, sou uma humilde viajante…estou iniciando ainda e conto com apenas 3 carimbinhos no passaporte! Estou curtindo muito o site de vocês. Parabéns pelos 2 anos! Comecei admirando as fotos do Gleiber pelo facebook – ex colega de faculdade (UFTM) e principalmente de Diretório Acadêmico (DAGV) – Tudo bem se não se lembrar! Afinal, são 10 anos passados! Vou continuar viajando com vcs pelos posts até poder estar pessoalmente nesses lugares maravilhosos – abraço e infinitas milhas para vcs!
    Liliane Cristina Rodrigues Augusto – BH / MG

  5. Oi Liliane! Que bom te ver por aqui! Claro que me lembro de ti! (e não precisava contar para todo mundo que já fazem tantos anos, né?) Um beijo e seja sempre bem vinda ao blog!

  6. Sandra Moraes
    20/03/2014

    Oi Gleiber! Estarei fazendo meu primeiro mochilão p/ fora de nossa casa e com um tiquinho de medo. Vcs tem sido de grande valia nas orientações e vivencias muito bem feitas.Começo exatamente por Santiago, só como passagem mais resolvi ficar 2 dias, para uma pré ambientação. estou precisando de uma ajuda que busquei em seu blog e infelizmente não vi, quero ir de ônibus p/ São Pedro de Atacama e não achei nada. Sabes onde eu poderei encontrar alguma coisa a respeito. Parabéns pela objetividade e leveza de seu Blog, faz parte dos meus favoritos.
    Abs.

    Sandra Moraes