Bento Gonçalves: Serra Gaúcha, Vinhos e Italianos

Para quem deseja conhecer, a Serra Gaúcha é dividida em três setores: Região das Hortênsias, de colonização alemã (Gramado, Canela, Nova Petrópolis e São Chico), Campos de Cima da Serra (Cambará do Sul e Região dos Cânions) e, por último a Região da Uva de do Vinho que é a principal produtora da bebida no Brasil.

Pois bem, o nosso destino dessa vez foi Bento Gonçalves, perto de Garibaldi, cidades de colonização italiana e que abrigam 83 vinícolas, em conjunto com os outros 10 municípios da região.


Uma andarilha italiana convidada!

Nosso objetivo era sair de Porto Alegre bem cedo para conseguir em um só dia completar três roteiros, mas infelizmente só saímos depois das 10h. A viagem de 2 horas (por boas estradas, mas com pedágio) nos deixou mortos de fome, num restaurante da cidade. Então, o que acabou vingando do roteiro foi o seguinte:

 

1) A cidade de Bento Gonçalves propriamente dita

Ao chegar na cidade, paramos direto na Churrascaria Ipiranga, onde tínhamos duas opções: churrasco gaúcho a 40 mangos por pessoa; ou o sistema de galeteria, típico da zona italiana da serra, servindo o famoso “galeto ao primo canto” (o franguinho bem jovenzinho) acompanhado de costelinha de porco, polenta, massas e saladas variadas por módicos 27 reais. Esqueci de tirar a foto da mesa farta servida, mas podem confiar: valeu muito à pena, além de ser algo bem tradicional dessa região.

Zona rural de Bento Gonçalves
Foto da zona rural da cidade

Depois de sair quase rolando de lá, desistimos de passear pela cidade com medo de não termos tempo de conhecer tudo o que havia sido planejado. Basicamente as atrações seriam o Museu do Imigrante, o Parque Temático Epopéia Italiana, o Passeio de Maria Fumaça até Carlos Barbosa (que deve ser agendado previamente e dura cerca de 3 horas ao todo), o Parque de Eventos (caso esteja acontecendo alguma feira ou festa na ocasião) e o Pórtico da Pipa, logo na entrada da cidade, que estava em restauração.

 

2) Caminhos de Pedra

Basicamente, trata-se de uma estrada (bem sinalizada, com boa estrutura para o turista) com diversas construções representando exemplos da colonização italiana na região, no final do século XIX. Algumas atrações são apenas para serem avistadas ou fotografadas como exemplos da arquitetura daquela época. A maioria está bem preservada, mas há umas poucas ainda em fase de restauração.

Casa de Pedra
Casa de Pedra

Além dos casas para observar, há inúmeros pontos de visitação que, na verdade, não passam de lojinhas (legais, diga-se de passagem) que vendem produtos “coloniais”. A casa do Tomate, por exemplo, mostra o processo de cultivo e preparação do tomate para a confecção de diversos produtos artesanais que estão à venda para o turista: de molhos prontos sem tempero até um exótico “pesto de pinhão com tomate e oliva”.

Bento Gonçalves

Outras casas que visitamos foram a da tecelagem, da ovelha, da erva-mate, dos doces, das massas (que foi a mais legal, na minha opinião).

A rota, que é bem curta (12km ao todo), termina numa vinícola familiar local, que promove degustação de variedades de uvas italianas excêntricas e que hoje em dia só são cultivadas ali em sua propriedade. A sede, em formato octogonal e feita de pedra é bastante bonita e os preços, baratinhos.

Vinícola Salvati e Sirena
Vinícola Salvati e Sirena

Em resumo, foi um passeio que levou cerca de duas horas, e que poderia ter sido aproveitado de outras formas mais legais (de bike ou com o auxílio de um guia turístico). A gente não dispunha das informações históricas e sentimos falta delas. Por outro lado, dependendo do preço que alguém paga por um tour desses, que pode ser percorrido de carro a custo zero, pode ter se sentido em um daqueles passeios pega-turistas (só para te fazer entrar em um monte de lojinhas para gastar).

 

3) Vale dos Vinhedos

Esse sim, talvez seja o passeio mais legal de Bento, mas a gente não conseguiu fazê-lo neste dia. Já fizemos esse tour em uma outra oportunidade, mas não tenho fotos para compartinhar. O ponto alto foi a visitação à vinícola Salton, mostrando todos os detalhes da produção e com uma bela sessão de degustação ao final. Saímos carregados de vinhos!

Parreiras secas em Bento Gonçalves
Pena as parreiras estarem secas no inverno…

Só lembre-se: se beber, não dirija!

Abraços a todos.

 

MAIS POSTS SOBRE O BRASIL?

 

Foz do Iguaçu
Índice completo de Posts do #BlogTurFoz

Alagoas
Índice completo de Posts de Alagoas

Rio Grande do Sul
Índice completo de Posts do Rio Grande do Sul

Brasília
Brasília: Beleza Árida

Escrito por: Gleiber Rodrigues
Compartilhe:
comentarios:7
Posts Relacionados:
21
Jul
2011
7 comentários
  1. Rebecca Americo
    27/07/2011

    Olá meninos! Tudo bem?! Tenho o blog de vcs nos meus favoritos e ultimamente tenho vindo MTO aqui fuçar nos post das viagens pela europa, pois estou indo p aqueles lados em novembro! Como vcs, tb vou “caçar” castelos na escócia e inglaterra e tenho interesse em fazer o percurso de carro nessas regiões. Minha duvida é a seguinte: Como é a questão de aluguel de carros? É preciso alguma carteira especial? Alguma documentação especial? Teste? Quanto $ por dia em média?

    bom, é isso! Já falei que adoro o blog e o jeito como escrevem! ;D

    Rebecca-americo.blogspot.com

  2. Gleiber seu fazido!! Pelamor d deus!! Tuas fotos estão muito muito boas!! E o blog ta organizadinho, mt legal mesmo!! Vou recomendar certo!! Só podia ter ali o campo pra seguir o blog com a conta gmail, né??
    Beijão!!

  3. Michel
    30/07/2011

    Fala doutor! Valeu pelo pulo no blog! Não falei do inverno porque não quero fazer as pessoas sofrerem vindo pra cá! uhahuahuauhauh são poucos os loucos como você que gostam da friaca! Mas a neve tem seu charme!
    Falando em friaca, muito legal esse pedacinho de Itália na Serra Gaúcha hein? Incrível a influência européia no nosso país! Viagens assim valem muito a pena, sair da rotina e conhecer coisas novas! Mas importante mesmo é compartilhar com outros andarilhos como eu! 😀 Grande abraço e ótimo fds! Michel

  4. Gleiber
    03/08/2011

    Muuuito atrasado, lá vou eu responder aos comentários. Desculpem mesmo, galera. Mas tava punk conseguir um tempinho nessas últimas semanas… Rececca! Manda um email pra mim que a gente conversa melhor (gleiber_rodrigues@hotmail.com), mas aí vão umas informações básicas. Alugar carro é barbada. Fiz tudo daqui do Brasil, usando o site http://www.skyscanner.com (seção aluguel de automóveis). Escolhia a companhia mais barata, carro econômico e deu tudo certo. Nossa carteira de motorista brasileira vale para eles e custa em torno de 50 REAIS por dia para um modelo básico. Uma pechincha. Obrigado pelas visitas. Teu blog tb é show! Abraços e valeu pela divulgação!

  5. Gleiber
    03/08/2011

    Mila!!! Valeu pela visita.. Vou ter que descobri como é que faz o negócio do gmail… Sabe como é. O cara faz tudo no amadorismo. O logo mesmo, foi gerado no WORD! Um beijo e volte sempre!

  6. Gleiber
    03/08/2011

    Michel! Tem mais posts sobre a serra gaúcha no forno para publicar aqui. Eu sou louco por esse cantinho do Brasil e não é à toa que eu vim morar pra cá. Cara! Tá sensação térmica de 0°C hoje!!! Incrível!

  7. […] Gramado São Francisco de Paula – onde a serra é mais gaúcha Templo Budista Khadro Ling Um pouco de Bento Gonçalves  Ecoparque Sperry – Trilhas, cachoeiras e bergamotas  Itaimbezinho Jaquirana Passeio a […]