Viena: tudo em um dia!

Incrível a resistência desses Andarilhos do Mundo. Eu praticamente não estou mais sentindo as minhas pernas mas estou aqui fazendo a minha postagem no blog, como bom herói que sou! Sim, porque hoje a gente se acabou caminhando! Eu já deve ter dito isso em alguma postagem anterior, achando que em nenhum outro dia a gente andaria tanto. Agora sim, pelo menos por enquanto, batemos nosso recorde!


Igreja nas margens do Danúbio

Não que Viena seja muito grande. Quer dizer, a cidade é sim enorme, mas a parte turística dá para fazer toda a pé. Tanto dá, que fizemos. Eu só não imaginava que a gente conseguiria andar por todos aqueles lugares em um só dia!

Faltou só o palácio de verão dos Habsburgos, o Schloss Schonbrunn, que fica mais longe, fora no anel principal da cidade.

Visualizar Viena em um dia em um mapa maior

Viena é a cidade de museus, tem mais de uma centena e é claro que não dá para visitá-los todos. E é também a cidade dos palácios. É simplesmente incrível a grandiosidade dos monumentos e dos edifícios daqui.


Igreja de São Carlos, vejam as pilastras em espiral

Começarei a contar o tour a partir do Hofburg que era o palácio de Inverno da família real austríaca. Ali pertinho fica a Michaelerplatz e a Stephandsom que eu já comentei ontem e que foi, na verdade o nosso ponto de partida. Os jardins devem ser lindos ali, mas para o nosso azar, não tinha nada verde ainda. As flores estavam, na verdade, sendo plantadas justamente ali na nossa frente. Os operários trabalhando, os alambrados, as cercas. Lindo para colocar nas fotos, não acham?

A gente tentou só botar aqui as fotos que não mostram muito dessas coisas, ehehe. Bem, daí vai a lista de lugares que passamos na frente e fotografamos. Não pensaram que a gente ia entrar dentro de todos eles em um dia, né?


Rathaus

Então aí vai: Universidade de Viena: nada demais para visitar. Rathaus: é o palácio do governo (não sei se do país ou da cidade). Esse é um prédio lindo, parecem torres góticas, tipo de catedral medieval.

Ao lado da Rathaus, o Parlamento, com seu estilo Greco-romano, cheio de estátuas, escadas, uma estátua gigantesca de Atena bem em frente. Um lugar simplesmente fantástico.


Parlamento

Logo ao lado ficam dois prédios gêmeos, quase iguais (será que não são iguais mesmo?), o Kunsthistorisches Museum (museu de arte histórica, ou algo assim) e o de História Natural. Entre eles uma estátua / escultura belíssima de Maria Tereza.

Resolvemos então visitar o museu de Arte, que é fenomenal. Tem uma parte de arte egípcia e Greco-romana, além é claro, de pinturas famosas do período pré arte moderna. Demais. Valeu muito à pena.


Que gracinha…

Infelizmente, rendeu as primeiras bolhas, porque em museu você anda em círculos várias vezes, né? Lá tomamos um chocolate quente horrível e frio…

Lá fora, um gato inflável chamando a atenção dos turistas. Acho que era mais uma dessas obras de arte moderna, feitas para a gente interagir, hehehe. Se era proposital ou não, não sei, mas todos mechiam muito. Ali, do ladinho, o Museum Quartier, um quarteirão inteiro com obras de arte, galerias e dentro, com o museu Leopold. Com a nossa cota de museus já estourada, não visitamos o museu em si, que é de arte moderna.


Kunsthistorisches Museum

Eu cheguei ali entusiasmado em ver aqueles bancos com formatos insólitos e coloridos que tinha visto no blog dos colegas. E nada! As galerias estavam quase todas em reforma e fechadas. Ou seja, foi um fiasco… que pena!

Mais uma do museu

Pertinho, fomos a um mercado, tipo um mercado público, nos maravilhar com o perfume dos temperos e com coisas exóticas de várias partes do mundo como mamão, banana e acreditem: abacaxi! Incrível! Brincadeiras à parte, ali tinha de TUDO mesmo e foi ali que comemos um Wiener Schnitzel, que nada mais é que um bife a milanesa, ehehhe. Foi a fome a culpada. Briguem com ela!


Wiener Schnitzel com batatas fritas e coca zero para não engordar…

Ali do lado (reparem que tudo é “do lado”, e é do lado mesmo!) fomos até o Belvedere que é mais um dos palácios da família real austríaca. Fantástico. Fiquei imaginando o que seria se tudo estivesse verdinho… 🙁 Mas não dá nada! Continuamos caminhando e caminhando (só o Belvedere, para chegar perto do palácio mesmo já é uma pernada e tanto, ainda bem que era no meio do marrom verde).


Belvedere

Depois de caminhar tudo de volta, fomos para o parque da cidade, o Stadtpark, na verdade só para passar por ele (sem caminhar muito mais) em direção ao metrô. Mas não resistimos e tiramos uma fotinha da estátua do Schubert.


Shubert

Queríamos ver se conseguíamos fazer um passeiozinho de barco pelo Danúbio e fomos até uma estação de metrô na beira do famoso rio. Lá, encontramos o anoitecer, o vento frio e congelante e, claro, tudo fechado!

Daí fomos para um lugar que não estava nos planos. Ir visitar a roda gigante de 1897, de onde se tem vistas incríveis de toda a cidade. Estava de noite e não vimos muita coisa, o ingresso foi caro para um passeio tão rápido, mas foi legal, principalmente pelo parque de diversões, algo que não esperávamos visitar num dia como hoje.


Roda gigante de 1897

Pena que a maioria dos brinquedos não estava funcionando. Aquilo deve ser ainda mais vibrante e mais divertido no verão, cheio de gente por ali tomando sorvete e gritando nos brinquedos. Mas hoje, um dia de inverno, parecia até mesmo mal assombrado, eu diria. Um cenário perfeito para um filme de terror. E, ao chegar em um dos restaurantes do Parque (Parque Prater) de diversões, um dos poucos que estava funcionando, o inusitado finalmente acontece. Só vocês vendo como os seus próprios olhos!

Abraços.

Amanhã os andarilhos motorizados e previsão de chuva!

Não percam!

Quer saber mais sobre a Áustria?
Viena: Primeiras Impressões
Viena: tudo em um dia
Wachau, um vale no Danúbio
Salzburgo

Escrito por: Gleiber Rodrigues
Compartilhe:
comentarios:4
Posts Relacionados:
16
Mar
2011
4 comentários
  1. deisoca
    21/03/2011

    Eu infelizmente fiquei menos que um dia em Viena e não consegui ver quase nada. Uma pena!

  2. Lyvia Poliana
    11/03/2014

    Olá Rapazes! excelentes dicas! Estou indo para Praga, Viena, Bratislava, Budapest, Zagreb, Liubliana e Salzburg na mesma época que vocês foram anos atrás! Sempre vejo dicas de fazer o roteiro de trem ou avião, mas adoooro viajar de carro, especialmente na Europa. Quais as dicas pra quem vai de carro, especialmente nessa época (tickets de pedágio, circulação pelas cidades, pneus específicos pelo tempo, etc)
    Obrigadíssima!!

    • Oi Lyvia,
      A gente ainda pretende escrever um post específico sobre isso, mas algumas coisas eu já posso adiantar. Cada país tem uma forma diferente de cobrar pedágio e isso pode dar uma baita dor de cabeça (aconteceu da gente levar muita na Eslovênia, por exemplo). Na Áustria, o carro tem que ter o vignete, um selinho no para brisas que você compra assim que cruza a fronteira para entrar no país. Na Eslovênia é o mesmo sistema. Já na Croácia, as estradas pedagiadas tem praças de pedágio para pagamento, não precisa selo nenhum. Não dirigimos nem pela Rep. Tcheca, nem pela Hungria, nem Eslováquia.
      Sobre os pneus, fique tranquila, a operadora já vai te dar o pneu certo para a época certa do ano (na Áustria nos deram pneus de neve, na Croácia, que foi no verão, a gente pegou pneu comum). Se for inverno e houver risco de nevasca, vale a pena alugar um kit para neve (vem correntes para colocar nos pneus, caso necessário – a gente nunca precisou).
      Acho que é isso por enquanto. Abraços

  3. Heloísa Figueiredo
    12/11/2016

    Caraca, muito maneiro.
    Vou usar tudo na viagem. Obrigada!