Um pouco da cultura de Praga e dos Tchecos

Resolvi voltar um pouco para falar para vocês um pouco sobre a República Tcheca, sua cultura e seus costumes. Uma coisa que você vai perceber de cara, ao chegar na cidade: é muito difícil saber quem, de fato, é tcheco e quem é turista.

Tem tanta gente aqui, de todo o mundo, de todas as etnias, que leva um certo tempo para você notar aqui e ali, onde está o povo de verdade do país. Na verdade, não sei se cheguei a descobrir, de fato, algo sobre eles, mas arrisco alguns palpites.

As tchecas, por exemplo, são mulheres lindas… Que o diga o Sandro que levou uma cantada muito engraçada de uma que estava preparando umas salsichas num balcão perto do castelo, hehehe. Não parecem muito tímidas… Os tchecos, por outro lado, já são mais grosseiros.


Banquinha vendendo Trdelnik

Não espere ser atendido com aquele sorriso dos baianos, por exemplo. Eles não gostam de explicar muito, já querem que você desembuche o pedido de uma vez e não fazem questão de muito papo. Dá a impressão que eles sabem só o básico do inglês, por isso talvez fiquem com vergonha de falar mais. Ou talvez seja só o jeito deles mesmo. Quanto à tez, parecem ser quase todos uns ruivos/loiros cheios de espinhas, hauhuahua.


O negócio de batata feito num tacho gigante

Não tivemos oportunidade de conhecer muito da sua culinária, mas a praça da cidade velha (Old Town Square) dava uma boa amostra, com suas várias tendinhas de pratos típicos. Um muito saboroso é uma mistura de batata com lingüiça e repolho.

Pode soar estranho dizendo assim, mas é uma delícia. Nos fartamos com uns amendoins cobertos de açúcar e canela e devoramos um hot dog que era feito só de um pão baguete com uma big lingüiça. O Trdelnik (um dos únicos que aprendi o nome) é uma espécie de rosca em espiral que é assada enrolada num espeto grosso. Muito bom!


Os rolinhos doces, prontos para vender

Comida de rua é uma boa forma de se iniciar nos hábitos de um povo diferente do nosso, assim como as feirinhas de artesanato. Os tchecos gostam muito de marionetes e também vendem bastante daquelas bonecas russas chamadas Matrioshka (acho que é assim que se escreve). Tem muitas lojas de brinquedo, de bonecas (comuns e russas), cristais e jóias. Que pena que dá tanto trabalho para carregar, senão eu ia querer levar taças daqui, com certeza.


Quem disse que é só gaúcho que gosta de churrasco?

Achei bem fácil conseguir internet, na maioria dos locais turísticos, você consegue se comunicar muito bem em inglês, os serviços parecem todos funcionar adequadamente. Há muito pouco de coisas “comunistas” por aqui. Na verdade, talvez só o ar conservador do seu povo, mas não dá para sequer imaginar como era essa país a 20 e poucos anos atrás, antes da queda do muro de Berlim…

Bem, acho que era isso…

Abraços a todos!

 

Quer ler mais sobre Praga?

Vôo Brasil – Praga
Praga – Primeiras Impressões
Praga – Banquete Medieval
Castelo de Praga
Pernas pra que te quero! Petrine Zahrada
Um pouco da cultura de Praga

Escrito por: Gleiber Rodrigues
Compartilhe:
comentarios:3
Posts Relacionados:
15
Mar
2011
3 comentários
  1. Rapha Aretakis
    15/03/2011

    Eu comprei uma dessas bonecas russas. As vitrines daí têm tanta coisa que a gente não sabe o que levar, né? Mas as mais legais são “quebráveis” e a viagem é longa. Uma pena 🙁
    Que saudade de Praga. Pelo menos posso viajar com vocês 😀

    :*

  2. Vera Machado
    18/09/2016

    Oi Gleiber. Estou em Paris preparando um passeio a Praga com a Ninon e o Lucas. Adorei as dicas. Bj