Programando sua Viagem – parte 2 – Transporte

Esta é a sua segunda preocupação mais importante ao programar uma viagem. Na verdade, os mochileiros em geral se resumem a esses dois passos: escolher um destino e comprar as passagens para chegar até lá.

Mochilas nas costas, eles vão descobrindo o que fazer e aonde ir lá mesmo, conversando com os locais, pegando dicas no albergue, usufruindo de sua habilidade nata em inovar e improvisar.


Mochila nas costas e dê-lhe trilha!

Eu, infelizmente, não consigo ser tão descolado. Além de comprar minhas passagens, eu ainda planejo todos os deslocamentos DURANTE a viagem.

Chego a imprimir mapas de metrô (e vou decorando tudo antes!), anotar horários de trem com uma dezena de opções de baldeação, marco quilometragem no google e calculo até a gasolina! O lado bom é que o orçamento da viagem (no post anterior eu recomendo ter uma planilha no Excel, lembram?) fica quase perfeito.

Para vocês verem que eu falo sério!

Na verdade, na última viagem o orçamento previsto foi mais caro que o real! Sobrou dinheiro, acreditam?


Falando em meios de transporte…

Tá, eu não recomendo tamanha loucura para todos vocês. O que eu vou ensinar são manhas simples para saber como chegar ao seu destino em três situações: Viagem de avião, Viagem de carro e Viagem de trem. No Brasil, as viagens de ônibus são muito fáceis, é só chegar na rodoviária com uma certa antecedência (ou não, conforme o seu destino), comprar as passagem e ir! Não costumam atrasar, nem ter dificuldades no trajeto (à exceção dos vizinhos chatos, eheheh)


Aos preconceituosos, ônibus às vezes é tudo de bom…

 

Viajar com milhas

Se você pretende usar seu programa de milhagem favorito para descolar trechos disputados, prepare-se. Você muito provavelmente irá se estressar. Quando eu digo trechos disputados, para começar, estou falando em qualquer trecho para a Europa por exemplo.

Eu nunca tentei resgatar meus pontos para viajar para a América (do Sul ou do Norte), mas já vi que a simplicidade que encontrei ao adquirir trechos nacionais se transforma em uma angústia incrível quando tentei adquirir meus bilhetes para o Velho Mundo.

Na primeira vez, eu queria um voozinho Brasil – Londres, quatro meses de antecedência, na baixa temporada (fique atento nisso! O custo em milhas de uma passagem varia muito conforme a companhia considera a data como alta ou baixa temporada!). Barbada, não acham? Não! Não havia mais nenhuma vaga para os 2 ou 3 meses subsequentes! Resultado: tive que adquirir bilhetes para Paris e depois viajar por conta própria para Londres.

Eu só não reclamei muito, porque “ter que ir” a Paris nem é algo tão ruim assim. Mas acabei retirando 3 dias da minha programação para passear em lugares que não estavam, a princípio, na programação. Entendem?

Na volta, então, isso foi horrível, pois em um só dia eu saí do meu Hotel em Londres, viajei 1:30min de metrô, peguei o Eurostar (o trem que liga Londres a Paris), cheguei a Paris depois de 2:30h, peguei metrô de novo (sei lá, uns 45min?) até o aeroporto Charles de Gaule, e só então começou minha jornada de quase 16-18h até Porto Alegre. Se o meu vôo saísse direto de Londres, nada disso teria acontecido.

Agora, felizmente a Tam entrou para a Star Alliance e a Gol está na Smiles. Isso significa que a probabilidade de achar uma vaga em uma companhia parceira aumenta. Nessa viagem, por exemplo, usando milhas TAM eu vou de Lufthansa e volto de TAP. Por quê? Advinhem? Com 4 meses de antecedência (de novo!) não havia mais vagas nos vôos da TAM! Mas ao menos eu vou chegar onde de fato seria o meu destino!


Tem gente que tem medo… Eu acho avião poético…

Comprar bilhetes aéreos comuns

A dica aqui é ir de companhia em companhia aérea e pesquisar preços e promoções. Nem sempre comprar antecipado garante o menor preço, pois promoções de última hora costumam ser matadoras. Infelizmente isso só vale se você é completamente flexível quanto às datas da sua viagem. Se você tem APENAS aquelas datas imutáveis para a sua viagem, o bom é não correr o risco de não achar vagas.

Alguns sites fazem a pesquisa de preço para você (facilitando muito as nossas vidas). A Decolar e a Submarino Viagens fazem buscas em companhias brasileiras, mas querem saber? Eu tive a impressão de que elas não cobrem todas as possibilidades de verdade. Ao menos elas servirão para você descobrir umas companhias que você nem imaginava que voavam para o trecho pretendido.

Eu nunca me arrisquei a comprar através deles, e já li relatos de muita dor de cabeça tentando fazer isso. Então, minha sugestão é: entre lá, veja as opções disponíveis e depois compre os bilhetes nos sites das próprias companhias. Não vai ter erro.

Agora, para pesquisar trechos aéreos no seu destino (Europa, Estados Unidos), não tem melhor que o Skyscanner! Esse sim compensa! Mas mesmo assim, quando precisei dele, acabei ficando com medo e comprando o trecho (Barcelona – Atenas) no site da própria companhia.

 

Viajando de carro

Ao programar uma viagem de carro pelo Brasil, não tem muito mistério. Basta estar em dia com a sua documentação, calibrar pneus, conferir a água e o óleo e pisar na estrada. Para o exterior, entretanto, a coisa embaça um pouco. Cada país tem exigências diferentes e mesmo ao alugar um carro, você deve estar atento aos itens obrigatórios.


De carro você é mais livre em seu roteiro

No Uruguai e na Argentina é exigida a Carta Verde, que é uma espécie de seguro contra acidentes pessoais para você dirigir no Mercosul (e no Chile também, se não me engano). Os Uruguaios não exigem outros itens de segurança, mas os hermanos argentinos exigem um tal de cambão (cabo de aço), dois triângulos (e não só um como aqui no Brasil) e kit de primeiros socorros.

Além disso, você não entra no Mercosul com veículo que não esteja em seu nome (carros alienados necessitam de autorização da financeira, mas uma simples procuração resolve esse perrengue). Leia mais no link da 4×4.


Que saudades do Berry!

Na Europa, você pode alugar um carro em um país e sair viajando à vontade. Mas para cruzar a fronteira entrando em outro país pode ser necessário colar um adesivo demonstrando que você pagou uma taxa para trafegar ali (para entrar na Áustria e Suíça, por exemplo, você necessita ter a vignette).


Só alugando para ter um desses na mão!

A carteira internacional de motorista em geral não é necessária, pelo menos nos países que usam o alfabeto latino (como o Brasil). Isso não significa que algum dia, em algum lugar, alguém não possa lhe exigi-la. Então, na dúvida, vá tirar a sua.

Viajando de trem

Essa é a forma mais confusa de viajar para um brasileiro, eu acho. Como por aqui não usamos esse meio de transporte, sempre ficamos receosos sobre usá-lo no exterior. Que já usou sempre conta: é uma barbada. Facílimo.

Muitas vezes você poderá comprar seu bilhete em uma máquina automática, usando seu cartão de crédito.

Atenção com as trocas de trem, pois geralmente o tempo de conexão é curto e eles são extremamente pontuais.

Ao entrar em um vagão, confira se não está na classe errada! O maior mico é comprar bilhete de segunda classe e entra “se achando” na primeira.

Confira se o seu vagão te leva para o seu destino. Há casos em que os vagões em um mesmo trem se desconectam e vão cada um para seu lado.

Geralmente você não terá assentos marcados, então é bom chegar cedo para escolher primeiro o seu lugar.

Se você tem um passe de trem, lembre-se que é imprescindível fazer reserva (você tem que pagar por isso!) para determinados trechos panorâmicos, nos trens noturnos e dos trens de grande velocidade. Nos outros, é só entrar com passe em mãos (preenchidos corretamente).

Seu passe de trem não inclui o Eurostar!

Bem, o post ficou longo, mas acho que coloquei dicas importantes.

(Sempre modesto, ehehehe)

Você tem mais dicas ou informações? Tem dúvidas? Posta nos comentários!

Quer mais informações para programar sua viagem?
Escrito por: Gleiber Rodrigues
Compartilhe:
comentarios:7
Posts Relacionados:
24
Feb
2011
7 comentários
  1. Giovana
    24/02/2011

    Nossa, Gleiber, que organizadooo!

  2. liiiiiiindos, adorei ver todos aqueles lugares que voces foram.
    maaaaaaravilhoso ;], adoraria ter voces no orkut p mim fuçar mais nas fotos *-* ..
    bbeeeeijinhos http://www.orkut.com.br/Main#Profile?rl=mp&uid=16005064801422899359

  3. Gleiber
    25/02/2011

    Então, os Andarilhos do Mundo, infelizmente não estão no orkut. Mas o Gleiber está no facebook. Procure por Gleiber Rodrigues. Tem muitas fotos lá.

  4. Isabela Pimentel
    25/02/2011

    ée uma pena, mas vou adicionar no facebook concerteza, e se tiverem msn e puderem me add eu agradeceria isabelampimentel@hotmail.com

    teeeeenho mts perguntas sobre tuuudo das viagens *-*.
    aaa escócia parece linda !
    beeeeijos

    adoooro ouvir as historias do sandro reclamando do povão nos museus e castelos ♥

  5. Muito legal as informações…e sabe que eu normalmente esqueço de tirar fotos dos carros que alugamos? Mas é uma boa recordação né? 🙂

    Adorei a foto com o Smart, pra gente é impossível alugar um desses… pequeno demais pra familia 😉

  6. Gleiber
    11/03/2011

    Cláudia, a gente sempre tira fotos dos carros. Na próxima semana, inclusive iremos alugar de novo, na Áustria. Vamos ver como ele será!

  7. lilica
    12/08/2011

    Gleiber conheci seu blog hj mas estou adorando!!! deve ser porque penso parecido com vc.
    Tbém faço uma super pesquisa antes de viajar, e não por dever, mas por prazer mesmo, tbém decoro os pontos princiapais, vejo se tem metro perto das estações, mercados,etc…. é um modo de viajar antes do corpo chegar ao destino, rsrrs, parabéns pelo blog!