Sobre o que “VIAJAR” significa

Apesar de também ser um amante de viagens, só agora, depois de uns 10 anos de “turista” é que estou aprendendo como se faz… No início, a gente costuma cair na tentação de tentar conhecer “tudo ao mesmo tempo agora”  e muitas vezes acaba ficando mais estressado nas férias do que no trabalho. Na Europa, onde normalmente pagamos muito caro para chegar e há tantos lugares para conhecer, isso se torna ainda mais comum.

Vamos pensar bem, viajar serve para romper com o cotidiano e não para seguir roteiros estritos, cronogramas apertados, horários rígidos… Deixemos isso para quando somos OBRIGADOS a isso e não para as nossas tão desejadas férias!

Carregar muita bagagem é outro erro comum. Só serve para estragar nossas colunas!

E o mais importante, acima de tudo, é fazer um bom planejamento. Apesar de ser um defensor da viagem “autônoma”, para quem não tem paciência ou não tem grandes habilidades em internet, um bom agente de turismo faz toda a diferença.

Em alguns lugares do mundo, é uma fria não ter um guia ou tradutor, mas na Europa (pelo menos na Europa Ocidental, que a parte que eu conheço) basta falar inglês e deixar um pouco de flexibilidade para o roteiro. Descobrir as coisas à medida em que elas se revelam é uma das maiores lições que uma viagem pode trazer para as nossas vidas.

Abraços a todos.

 

Mais Reflexões de Viagem?

Escrito por: Gleiber Rodrigues
Compartilhe:
comentarios:2
Posts Relacionados:
23
Nov
2010
2 comentários
  1. Cristina Barroca
    23/11/2010

    Gostei do blog. 😉

    Gostei do post, também.

    Seguimos como viajantes, que fazem da curiosidade a principal bagagem. =)

    Seguimos blogando, viajando e nos falando.

    Cristina Barroca
    http://www.aquieacola.com.br

  2. Rapha Aretakis
    13/12/2010

    Concordo com você, as primeiras viagens sempre tem aquela expectativa e aquela vontade de correr o mundo, mas depois, com experiência, a gente aprende a extrair o melhor de cada lugar e com paciência.
    Gostei do seu blog.

    :*